.21 de fev de 2015

Resenha do livro Desaparecida de novo – Doug Johnston





Nome do livro:Desaparecida de Novo
Autor: Doug Johnstone
Edição:1°ed.
Editora:Reader 's Digest
Número de Páginas: 136

Ao receber um telefonema da escola do filho, a vida de Mark Douglas começa a degringolar. Sua mulher não estava em parte alguma. A cada hora que passa, seus temores se agigantam. Por fm, Mark decide procura-la sozinho.
Livro que ganhei da minha amiga Fernanda Carvalho, Seleções de Livros – Reader’s Digest traz uma coletânea de quatro livros em sua edição. O livro de Doug Johnstone, Desaparecida de novo; Lições de Italiano – Peter Pezzelli; Caminhada após a meia-noite – Katy Hutchison e Melodia de Segredos de Jeffrey Stepakoff.
Falarei nesso texto sobre o primeiro livro da coletânea: Desaparecida de novo.
O livro é um suspense com drama muito bem escrito. Começa com Mark Douglas em uma praia de Portobello tentando tirar fotos das baleias que por alguma razão que não é citada no livro estão encalhando na praia. O vento está muito forte e nada favorável para Mark tentar algumas imagens boas para o jornal que trabalha. Ele tinha que conseguir era o primeiro emprego fixo nos últimos meses.
Seu telefone toca. É a diretora da escolha de seu filho Nathan. Sua esposa Lauren não fora buscar Nathan, como o prometido. Mark não gostou, mas fora buscar seu filho.
Mark pega Nathan e o leva para casa. Pensa que Lauren deve está ocupada no trabalho. Ela é gerente de vendas na Imobiliária de Taylor. Taylor gostava de Lauren, mas isso era passado.
Ele cuida de seu filho. Nathan pergunta por sua mãe. Mark diz que ela está no trabalho. Nem ele sabia onde Lauren estaria. Ela já havia sumido um tempo atrás. Após dar à luz a Nathan e desaparecera. 10 dias de angústia e sofrimento para Mark e seu filho. Lauren tivera depressão pós-parto. Fora internada. Ela desabafara que fora violentada e abusada pelo seu pai. Sua mãe Ruth não acredita. Ela briga Lauren. Mark perde a cabeça e bate em Ruth. Fora condenado a fica longe de Ruth. Tinha ultrapassado os limites.
Após tudo isso Lauren se recuperou. Era o aparentava. Ela estava feliz com ele e Nathan. Viajaram algumas vezes como uma família feliz faz. Mark nunca soubera para onde Lauren fora nos 10 dias que sumira. Nunca ousou perguntar. Tinha medo de ela se irritar e sumir para sempre. Ele não queria isso. Calou-se. Seguiu em frente.
Agora Lauren sumira. Será que se repetiria tudo? Não. Isso não era mais aceitável. Chegava a hora do jantar. Mark alimentou Nathan e deixou jogar DS de Star Wars no sofá da sala. Ele estava preocupado. Lauren ainda não voltou. Chegou a hora de Nathan dormir. Mark leu What was I scared of? Para Nathan antes de dormi. São 20h:15hs e nada de Lauren.
Seu coração acelerou. Onde estaria sua esposa? Pensou em ligar para sua sogra. Porém, não podia. A Justiça emitira uma ação protetiva. Mark tinha cumprido até aquele momento. Mas sua mulher sumira. Ela estava grávida. Uma menina. Estavam felizes. Ligou. Ruth atendeu. Lembrou da sentença. Ele falara que Lauren sumiu. Ela falou que Lauren apareceria. Ela não acreditava nisso. Ele também. Ele desligou.
“Tentou o número de Lauren novamente. Nada.”


Ligou para a polícia. Deu detalhes do desaparecimento de sua esposa. A polícia nada podia fazer. Ela sumira há poucas horas. A detetive Ferguson tentou acalma-lo. Nada adiantava. Disse que ela voltaria. Mark odiava que as pessoas falassem que Lauren voltaria. Parecia que elas pouca se importavam com Lauren.
Mark acorda no outro dia. Nada de Lauren. Liga para ela novamente. Seu coração gela. O telefone dela toca. Ninguém atende. Ele pensa em deixar Nathan na escola e ir no trabalho dela. Nathan pergunta da mãe. Mark mente. Diz que ela viajou.
Ele chega no escritório onde Lauren trabalha. O lugar é muito luxuoso para seu padrão de vida. Sente-se pequeno ali. A secretária o despreza ao ver suas vestes. Ele pergunta sobre Lauren. Ela recusa a dar informações. Ele entra sem permissão e foi falar com Taylor. Adentrou a sala de Taylor. Esse pouco falou. Pareceu nervoso. Mark foi embora.
Algo de estranho estava acontecendo. Olhou o email e as redes sociais de Lauren. Tinha suas senhas. Nada. Tudo normal. Apenas uma planilha de Excel no email. Só trabalho. Nada suspeito. Ligou para a polícia. Agora era oficial: Lauren estava desaparecida.
A detetive Ferguson foi vasculhar o apartamento de Mark e Lauren. Ele também era suspeito. Ele não gostou isso. Teve que aceitar.
Os dias se passaram. Nada. Começou uma investigação própria. Vigiou Taylor. Desconfiava dele. Nathan perguntava mais sobre sua mãe. Mark não aguentava mais mentir. Nathan fala que sua mãe sumira novamente, como antes. Mark se assusta. Lauren contou sobre seu desaparecimento anterior e não contou a ele. Mark acalma Nathan.
Nathan é um menino calmo, inteligente, ama jogar DS de Star Wars e assistir os filmes de Guerra dos Clones, mas também sente falta da sua mãe. Mark se desespera. Não aguenta mais a polícia desconfiar dele e não ajudar em nada. Persegue Taylor e ver coisas comprometedoras.
Sua esposa é encontrada morta. Seu mundo desaba. A mulher de sua vida se fora. Perdeu sua filha junta. Só tem a Nathan agora. Não acredita. Conta a Ruth. Ela sofre muito. Perdera seu marido e agora sua filha. Os dois se aproximam.
O mistério aumenta. A polícia acha que Mark é o culpado. Mark fica furioso. Bate na mãe de um coleguinha de Nathan. Estava defendendo o filho. Não pensa mais com a razão. Vai atrás de justiça e descobre a verdade. Corre perigos.
Ele alcançou as pessoas, que abriram passagem. Como se soubessem. Ajoelhou-se ao lado do corpo. Ela tinha o rosto voltado para o mar. Ele o virou. Lauren.”
Uma história que mostra a perda da ingenuidade, inocência e a destruição de uma família. Recomeços e reviravoltas são a marca dessa fascinante história, Desaparecida de Novo.
Um livro cheio de emoções. Personagens que marcaram a vida de Doug Johnstone. Nathan, filho de Mark Douglas, tem semelhanças com o filho do escritor.
Uma história com fatos verídicos. Uma leitura deliciosa e cheia de lições.
Joanice Oliveira


Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger