.4 de ago de 2015

[Resenha] A cor dos olhos teus - Andrea Lopes

Nome: A cor dos olhos teus
Autora: Andrea Lopes
Editora: KBR
Ano: 2014

N°de páginas: 224


SINOPSE:

Uma bela história de amor e paixão, contada de uma forma adorável e sedutora. Entre com vontade. Viva na sua própria carne, com todos os sentidos aguçados, o amor arrebatador de Alan e Daniele. Eles serão parte do seu dia a dia. “A cor dos olhos teus” vai mexer com a sua cabeça, um livro que prende sua atenção do começo ao fim. Viaje com os personagens, viva cada momento, desde pisar na areia de uma praia em Florianópolis, no sul do Brasil, até sentir um tesão enlouquecedor pelo Alan (desafie a sua imaginação) numa ilha da Espanha, tudo na medida certa, inclusive o tempo da separação e o amadurecimento de ambos até o reencontro.


Meninas gostam de um príncipe que é o lobo mau na cama. ”

Como eu classificaria esse livro? Um romance nada convencional e bem excitante aos leitores. Recai num New Adult, mas bem leve perto dos que eu já li anteriormente, porém extremamente conflitante com seus personagens problemáticos e bem elaborados.

A cor dos olhos teus conta a história da jovem Daniele que acabara de se forma no colegial e passara para a faculdade e após alerta de médicos, pois está sofrendo com o mal do século: Estresse tem que descansar. Então, resolve tirar férias com sua família num chalé no sul do Brasil.

A estória é contada pela visão dos dois principais personagens do livro: Danielle e Alan. Dani é cheia de vida, animada, divertida e não tem medo de ajudar as minorias que sofre com o capitalismo opressor. Parece nascer para abraçar causas sem necessariamente saber do que se trata. Dever-se ao fato de ela ter apenas 18 anos e com essa idade a maioria dos jovens é rebeldes e quer dar uma “resposta” ao mundo.

Dani conhece o jovem médico Alan na praia próxima ao chalé que está com sua família. Ele é um jovem em crise existencial. Quase 10 anos mais velho que ela e noivo. Dani também namora seu amigo de infância Rafael, mas isso não impede que uma paixão explosiva surja entre eles. É um amor desenfreado e que exige a necessidade extrema um do outro.

Nós temos essa necessidade, esse desejo insano um pelo outro. Eu nunca me canso dele, ao contrário, eu quero sempre mais. ”

Alan é um jovem adulto que passa por problemas com suas escolhas. Seu pai é um neurocirurgião renomado e quer que seu filho siga seus passos. Alan não sabe o que quer mais na vida. Para mim, Alan parece mais um cordeirinho do que um Homem, propriamente dito. Parece seguir regras para tudo. Suas ações sempre parecem previsíveis e sem graça. Não anda fora da linha. É um chato de galocha.

Dani é certinha...não podemos negar isso, mas sabe fazer escolhas por si própria e assume as consequências delas sem medo de ser feliz. Até a traição que cometeu em ficar com Alan, ela contou para o namorado que INCRÍVEL que pareça a perdoou e ainda a consolou quando ela decidiu se afastar de Alan, porque descobriu que ele tinha uma Noiva.

Uma nota mental bem aqui – Momento que aparece aquela nuvenzinha de pensamento nos desenhos animados e vemos fumaça sair do cérebro deles, porque os neurônios estão em ação - Como alguém consegue ficar com a outra, sexualmente falando, sem conhecer pelo menos um pouco sobre ela? Não estou julgando, mas é bem arriscado confiar em quem conhecemos há décadas, imagine com um rapaz que ela conheceu há 2 dias. Fecha a nota mental bem aqui.

Passar-se 10 anos após o fim do relacionamento deles – se é que posso falar em relacionamento em duas ficadas – e eles se encontram na Espanha e começa tudo de novo. Parece um ciclo vicioso. Se eu fosse a Daniele, eu mandava esse Alan pastar. Sério, ele é muito vítima para minha curta paciência. Conheço pessoas que passam mais tempo se auto punindo do que vivendo de Verdade, mas ele chega a parecer um adolescente pedindo desculpas para os pais, porque foi pego fazendo algo errado.

A relação deles parece mais sexual do que afetiva. Acredito no amor dela por ele, porém não no inverso. Ele é destrutivo. Estar todo tempo se martirizando e afastando as pessoas que amam ele de perto. Isso é um pouco ilógico para quem é Prêmio Nobel de Medicina e tem o mundo aos seus pés. Tratamento psicológico existe para isso.

[...] pois desde que ela entrou em definitivo na minha vida, não faço a menor ideia de onde eu termino e ela começa. ”

Os olhos azuis roxeados podem ser LINDOS e eu conheço um amigo que tem a mesma falha genética que a dele nos olhos, mas não compensa os defeitos exagerados dele. Quando li o perfil dele, lembrei do Travis Maddox de Belo Desastre. Idêntico. Inseguro e ciumento aos extremos que não combinam com Homens mais maduros e são indícios de isolamento social. Não estou crucificando ele, mas com quase 45 anos (onde terminar o livro), ele ainda ser desse modo é bem preocupante.

Ele queria tentar. Estava lutando contra seus demônios por nós dois, enquanto eu lutava contra os meus. ”

A história é muito envolvente e a escrita da Andrea é leve e simples. Os personagens falam alternadamente em cada capítulo e isso traz profundidade ao enredo. Conhecemos os dois e a visão geral dos fatos e sentimentos de ambos.

Nosso “felizes para sempre” é uma coleção de momentos especiais, únicos como este, uma coleção de medalhas ganhas em batalhas onde o que importa é saber que ele sempre estará lá por mim, e por ele. ”

Chegamos ao final bem esperado, mas lacunas ficaram abertas para o próximo livro que já estou louca para ler. Sabe os defeitos que falei do Alan mais acima? Então, eles são as deixas em aberto. Será que esse relacionamento tem futuro? Será amor mesmo que une Dani e Alan? Pode o amor resistir ao um cenário constante de pressão, ciúme, necessidade exagerada um do outro?

Mas quando se trata deste homem, não tenho bom senso, opinião ou personalidade.”


Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger