.25 de set de 2015

[Resenha] Os Assassinos do Cartão Postal - James Patterson e Liza Marklund

Título: Os Assassinos do Cartão-Postal
Autores: James Patterson e Liza Marklund
Editora: Arqueiro
Ano: 2014
N°de páginas: 303

Sinopse:
Uma viagem para conhecer as mais belas cidades da Europa é o sonho de qualquer pessoa. Porém, o detetive da NYPD Jacob Kanon não está interessado nos pontos turísticos. Após receber a notícia do brutal assassinato de sua filha e namorado, mortos em Roma, Kanon viaja para o Velho Continente para tentar juntar pistas sobre o crime que mudou sua vida. E a onda de assassinatos está só começando: jovens casais são encontrados mortos em Paris, Copenhague, Frankfurt e Estocolmo.
Os crimes parecem não estar conectados, com exceção de um cartão-postal enviado para o jornal local da cidade de cada nova vítima. Quando o repórter sueco Dessie Larsson recebe um postal, Kanon junta forças com o jornalista e partem para o novo destino para tentar capturar o serial killer.


Como eu amo suspense e investigação policial! Troco qualquer livro por uma história desse gênero. Depois de duas leituras de obras de James Patterson, comprei mais um livro do escritor e deliciei-me com sua narrativa carregada de adrenalina e diversos segredos que deixam os leitores inseguros com suas teorias e com finais que deixam nossos corações aos pulos de tanta emoção encontrada.


Os Assassinos do Cartão-Postal foi escrito juntamente com a escritora Liza Marklund que deu uma pintada mais romântica à vida do detetive Jacob Kanon após a morte precoce de sua filha Kimmy na Europa durante sua lua-de-mel com seu marido. Foram assassinados por um jovem casal bonito e bem persuasivos que encantam suas vítimas com vinho e flertes irresistíveis que levam os pombinhos apaixonados a uma cilada mortal. Uma noite com os assassinos que matam friamente. Embebedam os casais com álcool e drogas que os leva a um torpor perfeito para que os maníacos os mate com precisão e maestria.

A filha do detetive do 32°Distrito da Polícia de Nova York e seu marido foram as primeiras vítimas desses psicopatas. Após esse assassinato começam a acontecer vários por diversos países europeus. Jacob é afastado da investigação europeia, porque é americano, mas está tomado pela raiva da perda prematura de sua única filha. Não aceita as repressões das autoridades europeias e começa a investigar sozinho os criminosos. É inabalável e incansável em seu objetivo: Quer os assassinos na cadeia.

Ele é obstinado e movido pelo ódio. Perdera sua única filha e única companheira de vida. Sua esposa Lucy abandonara os dois quando Kimmy tinha 6 meses de vida e nunca mais aparecera. Agora estava entregue a raiva e é constantemente acometido por acessos de fúria que o levam a gritar e fazer escândalos, caso as pessoas impeçam sua investigação de continuar. É um pai que sente a dor de uma perda extrema. Ele quer vingança.

Muitas vezes senti pena e compaixão de Jacob, porque ele estava sozinho no mundo. Não tinha ninguém com quem dividir sua dor e angústia. Era rude e arrogante em suas abordagens. Só estava bem quando estava trabalhando no caso dos Assassinos do Cartão-Postal. Só quando se encontra com a jornalista sueca Dessie que ele parece ficar mais tranquilo.

Dessie Larsson é a jornalista que recebeu um cartão-postal dos assassinos. Eles mandam esses cartões como avisos de que mortes acontecerão naquele local. É uma escolha aleatória de jornalista. Dessie sente-se mal com esse cartão. Sempre tivera uma vida pacata e sem grandes ambições. Não pretendia ter muito reconhecimento na sua carreira. Estava se recuperando do seu conturbado relacionamento com a investigadora Gabriella. Agora estava sozinha e ficou estranhamente atraída por Jacob. Os olhos azuis penetrantes pareciam chamar por ela. Pensava que estava ficando doida. Jacob era um investigador que estava sofrendo a perda de sua filha e parecia um maltrapilho. Não banhava fazia muito tempo e a barba estava escondendo seu rosto. Parecia mais velho. Eles pareciam feitos um para o outro.

“Jacob se virou e olhou para Dessie. Seus olhos estavam ainda mais azuis, irradiando um pesar que ela não seria capaz de começar a compreender. ”

Os assassinos matam na Suécia. São presos o casal de irmãos Mac e Sylvia Rudolph. O que tudo indica é que são os culpados. Jacob tem certeza que são. As provas e os álibis dizem que eles são inocentes. A polícia sueca libera os dois. Jacob tem a convicção que eles são os assassinos do cartão-postal. Dessie não tem mais tanta certeza. A polícia também não tem.

Será que pela caçada implacável e o ódio mortal de Jacob estavam fazendo que ele acredite numa verdade que não tem evidências sólidas que seja verídica? Será que está exausto de tantas investigações que quer acreditar em qualquer coisa?

Li em muitas resenhas que o motivo que os assassinos tinham para matar suas vítimas era banal. Quero dizer algo: Não há qualquer JUSTIFICATIVA PLAUSÍVEL para matar um ser humano. NADA! N-A-D-A! Psicopatas matam por prazer e adoram aparecer na mídia, como registro de sua glória.

Os assassinos matam suas vítimas e deixa-os em posições que lembram pinturas famosas. Fazem cortes e recortes nos corpos para fazem Arte. Fazem obras de Monet, Da Vinci e tantos outros. Matam pela Arte sem Limites e mandam cartões-postais para selarem seu trabalho.

Dessie e Jacob ficam juntos. Pela primeira vez ambos se sentem completos e felizes, mas Jacob escolhe seguir com sua investigação e volta para os EUA. Dessie fica sozinha. Será que ela fora boba e tola em se entregar para um homem que conhecia tão pouco? Será que ele voltaria para ela? Será que ela deveria continuar investigando o caso dos assassinos do caixa-postal? Por que eles matavam apenas casais apaixonados?

“- Dessie, você é incrível, sabia disso?
Ele a beijou [...]”

James Patterson e Liza Marklund enchem seus leitores com uma história delirante como num carrossel de altas emoções. Cheio de suspense e mistério até a última página do livro.




3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bom?
    Adorei a resenha, mais um para minha lista de leituras!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, Greg
      A leitura é sensacional e te deixa implacável em busca do final que nos deixa com o coração na mão.

      Beijos

      Excluir

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger