.18 de out de 2015

[Resenha] Mentes Inquietas - Editora Andross

Título: Mentes Inquietas
Autor: Alfer Medeiros - Organizador
Editora: Andross
Ano: 2013
N°de páginas: 286


Sinopse:
Mary Shelley tinha pesadelos com a ideia de ressuscitar mortos... Lovecraft sentia-se perseguido por entidades anti-humanas... Edgar Allan Poe era fascinado por felinos e pássaros negros... As melhores histórias sobrenaturais, de suspense e de terror de todos os tempos surgiram das mentes mais inquietas que a literatura universal já conheceu. Agora, uma nova safra de escritores impõe ao papel toda a angústia de suas mentes, em tramas que mesclam o fantástico à loucura, o possível ao inimaginável, a penumbra ao medo... Se é horror que você procura, veio ao lugar certo: o subconsciente humano.

Mentes inquietas é um livro que deixa nossa alma assombrada, nosso coração acelerado e a mente como diz o título, inquieta.


O livro traz diversos contos dos mais diferentes autores. Os contos formam uma coletânea maravilhosa que traduz a inquietude de nossa mente que se move conforme nossos pensamentos e sentimentos.

“Queria estar com Satã novamente. O desejo se sobrepunha a tudo. ”

Somos convidados a entrar no mundo do suspense, do sobrenatural e principalmente, do mundo do terror. Levados por narrativas carregadas de enigmas e labirintos de emoções, os leitores são pegos de surpresa quando acham que os contos são suaves ou tranquilos. Todos são perturbadores e arrepiam todos os pelos do corpo.

Em um dos contos Sob o olhar do cão de Guilherme Matos, somos jogados em um cenário surreal e aterrorizante, onde um cão parece possuído por algum espírito sanguinário e vingativo que apenas sua dona consegue perceber. Tomada pelo medo e por achar que está louca, a dona do cão endiabrado não dar importância ao fato até que algo muito pior acontece.

“Derramar sangue virou questão de sobrevivência. ”

Fiquei com mais medo do que uma criança lendo os contos. Não sou acostumada a ler terror e sempre sou tomada pelo medo. Assisto séries que envolvem terror, porém não são o foco das mesmas. Então a experiência com essa coletânea foi maravilhosa.

Em Como em seu livro somos levados a uma narrativa, na qual uma jovem no dia do seu aniversário ganha como presente viver as aventuras do livro que está lendo. Podemos achar isso maravilhoso, mas o livro é de terror. Sua vida vira um inferno e muitas das pessoas que ela ama são mortas e o pior é que ela não sabe o final da história. A apreensão toma conta de quem ler. Eu fiquei chocada com a intenção do autor do conto, mas normalmente somos tomados pelo desejo de sermos nossos personagens favoritos, porque sempre achamos nossas vidas tediosas e sem graça.

O mesmo com o qual todos eles tentam evitar o inevitável, adiar o inadiável, o juízo final, o encontro com a morte. ”

No conto Para Sempre uma Estrela nos deparamos com uma narrativa bem confusa, mas tem essa característica justamente para ter um grand finale na qual o leitor ficará se perguntando como não percebeu que os personagens do conto estavam falando a verdade para nós e não percebemos isso e quando chegamos no final, ficamos tristes e abalados pelo trágico fim da “estrela” que amava o sucesso e o glamour dos holofotes.

Ambos foram atraídos para ali por vontade do monstro, não havia esperança, eles estiveram na mão do abismo o tempo todo. ”

Na A Última Casa da Rua nos adentramos no campo da curiosidade e ignorância humana. O ser humano quando não sabe explicar algo de forma racional ou científica sempre busca no sobrenatural e místico uma explicação plausível aos demais. A curiosidade sempre nos leva a descoberta, mas essa descoberta pode custar nossa própria vida.

Há uma narrativa cômica na coletânea que utiliza o terror para nos dar uma bela lição de vida. Em A Conspiração dos Mortos o sobrenatural e a realidade se misturam. Nesse conto, os mortos se revoltam contra os que ainda estão vivos e formulam uma constituição para os mortos. Todos os mortos devem perturbar algum vivo para que ele não alcance o sucesso e a tranquilidade. Nisso a comédia se torna clara, porque os fantasmas fazem que as pessoas se tornem resmungões, exigentes, infelizes e tudo mais e acabam nos mostrando que reclamos por qualquer besteira e que sempre jogamos nossos erros nas costas de outras pessoas.

“[...] sendo a peste que assola, o negro que avança e a mão que extermina. ”

Ezquizophrenius – O Devorador de Almas é um conto que nos leva a um confronto pertinente e bem relevante sobre os seres humanos. Sempre procuramos problemas onde não existem. Nunca nos conformamos com o que temos. Ficamos insatisfeitos sem fundamento algum e começamos a destruir o que conquistamos. Nesse conto, um homem bem casado e com um emprego maravilhoso começa a ser perturbado por demônios e acha que tem esquizofrenia e fica delirando todo tempo. É perturbado constantemente e recebe informações que seu chefe o acha incompetente e que sua pobre esposa está traindo ele com seu melhor amigo. Não há evidências de que isso é verdade, mas a mente humana sempre tenta encontrar fundamentos para apoiar nossas loucuras e o pior acontece, nos mostrando que somos facilmente manipulados por nossos sentimentos e enganados pela nossa débil visão humana.

“- Tampar seus ouvidos é inútil. Nós estamos na sua cabeça – a voz aguda fala rindo, como sempre. ”

Em A Morte também é justa somos gentilmente convidados a perceber que a morte não é má e não fica feliz com nossas crueldades para com nossos semelhantes. Nesse conto aterrorizante vemos que a Morte também é justa quando faz que os maus paguem pelos coisas ruins e perversas que fizeram as pessoas. Sofrem quando vão morrer e a Morte sente prazer em vê-los sofrer. Aqui a Morte se personifica e traduz nossos sentimentos. Ela deseja uma morte dolorosa aos criminosos e aqueles que façam com que ela tenha trabalho extra e pior que tentam mexer na ordem natural.

“Porque algumas pessoas são boas demais para morrer. E outras são más o suficiente pra eu deixar sofrendo por um bom tempo. Morrer é um prêmio bom demais para ele [...]”

Há diversos contos com um terror digno de cinema e que deixariam Stephen King muito feliz, mas que carregam em suas narrativas lições aos vivos que teimam brincar com a Morte e com o que está além dessa vida.


12 comentários:

  1. Livro perfeito para o mês de Outubro ❤
    Mas admito que livros de contos, não são minha leitura favorita...
    Digamos que quando começo a gostar da história, ela termina :(
    hahahahhah
    Mas tirando isso, sua resenha incrível e cheia de detalhe sobre cada conto, dá até aquela curiosidade.
    Parabéns pelos quotes escolhidos, são fantásticos.

    Abraço e Bons Livros,
    Biblioteca do Coração❤

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada gatona!

      Contos são chatos, porque são curtos, mas acabam passando uma mensagem curta e essencial para o leitor.
      Beijocas!

      Excluir
  2. Joanice, amo sobrenatural, mas morro de medo de terror. Dá pra entender?
    Fiquei meio dividida se leria ou não esse livro, mas me conhecendo acho mais provável que não.
    Porém as histórias parecem ser bem macabras. hehehe

    Lisossomos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem macabras mesmo, Deb.
      Fiquei com medo quando lia os contos e muitas vezes tive pesadelos kkk, mas super recomendo, porque passam lições através dos personagens das narrativas.

      Beijos!

      Excluir
  3. Oi Joanice, tudo bem?
    Esto in love com esse livro por causa da sua resenha. Apesar de ser muito medrosa, livros com a temática suspense e terror me atraem bastante, principalmente quando são contos. A capa está maravilhosa e estou bem curiosa para lê-lo. Adorei!

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então corre, Gabi.

      O terror é macabro só em alguns contos e outros a sátira e o humor são mesclados juntamente ao sobrenatural e resultam em contos extraordinários e inquietantes.

      Beijinhos!

      Excluir
  4. Olá!
    Uma boa pedida para o mê do terror. Apesar de não gostar muito do gênero, ultimamente ando procurando livros do estilo para ler, mas esse livro parece ser beeem pesado então fiquei meio que com medo, quero começar com alguma coisa light haha...Minha mete é já é inquieta imagina lendo esse livro?

    Beijos!
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como sou doidona peguei logo um livro macabro haha, mas valeu a pena.
      Só cuidado com pesadelos kkk

      Ler suspense como Harlan Coben e Patterson é mais leve que terror propriamente dito.

      Beijos!

      Excluir
  5. Oii,
    Indicação bacana para esse mês do terror hein?
    Gostei muito da sua resenha. Já leu O Vilarejo?? É bem bacana também.

    beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É meu desejado no Skoob.
      Aceito como presente também kkk

      Beijos!

      Excluir
  6. Olá Jo
    Quando você deu a TBR fiquei bem curiosa com esse livro, agora com a resenha fiquei com mais vontade de ler ainda, dica pra la de anotada.

    Feliz dia das bruxas.

    www.poyozodance.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Olá

    Não conhecia esse livro, adoro contos, essa parte sobrenatural com terror, eu leria mesmo não sendo muito fâ de terror, leria pela parte sobrenatural, eu sou um pouco estranha,valeu pela dica e gostei da sua resenha.


    Bjss

    Bjss

    ResponderExcluir

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger