.16 de dez de 2015

[Resenha] O Duque e Eu - Julia Quinn

Título: O Duque e Eu
Autora: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Ano: 2013
N°de páginas: 290


Sinopse:
Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo. Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta. Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.


“Contaram-me que a temporada de caça aos Bridgertons começou e alguns “patos” começaram a serem pegos...se me entenderam...”
Crônicas da Sociedade de Joanice Oliveira

O que posso dizer da Família Bridgerton? Bem, deixe-me pensar...Hum...eles são MARAVILHOSOS! Sabe aquela família Buscapé dos filmes hilários. Onde todos falavam ao mesmo tempo, brigavam constantemente, mas se amavam imensuravelmente? Bem, essa é a Família dos Bridgertons. Ah, e não posso esquecer Sr.e Sra. Bridgerton têm uma escolha bem peculiar para o nome de toda sua prole. Os nomes dos filhos têm como iniciais as letras do alfabeto. Bem original e engraçado também. Anthony, Benedict, Colin, Daphne, Eloise, Francesca, Gregory e Hyacinth. Vocês podem notar que filhos não faltam. Os pais dessa família levaram a sério “Ide e multiplicai-vos. ”

Os homens – pensava ela com desagrado – estavam interessados apenas em mulheres que os amedrontavam. ”

O primeiro livro da Série Os Bridgertons conta a história da filha mais velha dessa Grande Família. Daphne é uma jovem de mais ou menos 20 anos e está na sua temporada de “caça”, ou seja, está pronta para arranjar um marido. O problema é que ela se dar bem com todos os homens e eles só a veem como uma “amiga”. Conhece a Friendzone? Bem, essa é a vida de Daphne. O que piora essa situação humilhante para Daphne é que sua mãe é implacável em arrumar um bom marido para sua filha. Lembra da Senhora Benett de Orgulho e Preconceito com suas filhas? Então, a Senhora Violet é sua reencarnação. Uma mulher viúva que tem como missão arranjar bons casamentos para todos seus filhos e que eles sejam felizes para sempre.

A senhora Violet não mede esforços em apresentar sua filha a todos os solteiros mais cobiçados de Londres. Daphne foge de eventos, mas sua mãe não deixa isso barato. A jovem está triste com três temporadas sem encontrar digno de sua atenção e amor. Ela quer casar e ter uma grande família como a sua, entretanto assim como seu irmão Anthony, parece destinar a solteirice.

Além dela Anthony é perturbado pela perseguição de sua mãe e se ver em eventos que parecem castigos para sua vida libertina. Ele não quer casar – Não nesse livro – e ajuda sua irmã a fugir de maus pretendes, mas não esperava que seu amigo Duque de Hastings cortejaria sua irmã mais preciosa e com uma personalidade bem extrema.

Porque havia sido ela quem expulsara as sombras dos olhos dele. Percebeu que queria isso para sempre. ”

O engraçado de tudo é que Simon – Duque de Hastings – deseja Daphne no momento que a ver pela primeira vez e joga seu charme para cima dela, só recua quando descobre que ela é irmã do seu melhor amigo. Simon é um jovem difícil, porém de um coração doce e gentil. Tem um passado tenebroso e humilhante. Teve um pai que o detestava e não o considerava filho dele. Simon sofre de gagueira e ser um Basset não permitia imperfeições.

“ Como Simon não falava quando as palavras não eram necessárias, as pessoas o julgavam arrogante, exatamente como um futuro duque deveria ser.”

Simon estava determinado a NUNCA casar com nenhuma mulher, por isso não queria ser incluído nos ciclos sociais da movimentada e fofoqueira Londres, porém foi o melhor assunto da misteriosa Lady Whistledown que escreve crônicas sobre toda a sociedade londrina com sarcasmo e uma ácida ironia. Simon não queria ser o que seu pai esperava dele. Ele vencer a gagueira e tornou-se um Duque famoso, rico e bonito. Os homens tinham inveja dele e as mulheres caiam aos seus pés. Porém, o coração de Simon era só ódio e raiva do seu pai.

“Simon olhou para ela com intensidade. Um sinal de alerta soou em sua mente. Ele a queria. Queria com tanto desespero que estava completamente tenso, mas jamais poderia sequer chegar a tocá-la. ”

Quando seu caminho cruza com o de Daphne parece que uma fagulha de esperança e amor se acende em seu íntimo, mas ele esconde isso de tudo e até de si mesmo. Não quer casar e muito menos ser o que o pai dele queria de um verdadeiro Basset.

“[...]. Porque fazer isso seria destruir todos os sonhos dela, e, libertino ou não, ele não sabia ao certo se conseguiria olhar-se no espelho de novo se fizesse isso. ”

Ele finge cortejar Daphne para que ela seja mais procurada pelos solteiros da badalada Londres. O plano dar certo, mas o mais provável acontece: Eles se apaixonam e a farsa parece não dar mais certo. Daphne tem sonhos doces e sutis: quer ter uma família e ser feliz. Simon não pode dar isso a ela. Não pode. Não pode de modo algum. O sentimento entre eles é claro para todos.

Então, será que o amor de Daphne Bridgerton terá o poder de derreter o gelo que se encontra no coração de seu amado Simon Basset e fazê-lo ceder aos contratos sociais como casamento e a perpetuação da “perfeita” Família de Hastings?

Julia Quinn me surpreendeu com sua obra. Ela literalmente escreveu um livro que foi um “divisor de águas” em sua vida. A profundidade dos personagens emociona qualquer leitor sensível. A caracterização dos personagens é simples, mas hilariante em muitos momentos.

Tenho uma família grande também. Cinco filhos e sei que discussão, superproteção e amor são coisas normais e constantes no cotidiano, mas a simplicidade que Julia nos mostra isso é tocante.

“ Não os Bridgertons, para quem a família era algo bom e verdadeiro. Não sabiam nada a respeito de palavras cruéis e sonhos destruídos. Não conheciam a rejeição. ”

A Família Bridgerton é espetacular. Cada filho tem uma personalidade diferente dos demais, mas todos têm algo igual: um amor absoluto e infinito por sua família. “Um por todos e todos por um”. Esse é o lema dessa família. Como não rir com os ataques constantes de ciúmes que chega a ser ridículos de Anthony, Benedict e Colin?! Como não chorar de tanto rir das loucuras da Senhora Violet em casar seus filhos e cuidar de si mesma? Como não adorar as fofocas quentes da Lady Whistledown?

O Duque e Eu é um livro de um amor libertador e salvador com um cenário de amor familiar paralela a uma sociedade pautada nas aparências sociais e casamentos que são meros contratos financeiros que renegam o amor ao patamar de insignificantes, mas meus caros leitores e leitoras...dou-lhes uma nota:

“ Em Londres, um Duque pode ser salvo por uma solteirona resmungona e inocente demais, mas saiba que ser um Bridgerton requer muita paciência e amor, entretanto somos convocados a lemos os divertidos e impudorados comentários de Lady Whistledown sobre a camada mais rica da devassa e algumas vezes entediante Londres. Mas não esqueçam, que ainda faltam mais sete Bridgertons para render mais murmurinhos e fuxicos. Apostem suas fichas em quem vai desencalhar nos próximos volumes.
Bem... posso adiantar que um tal Anthony começou a olhar uma certa “Patinha feia “como uma Cisne...mas deixamos isso para outra hora. ”
Crônicas da Sociedade de Joanice Oliveira
14 de dezembro de 2015

Livro 6

Livro 7

Obs: Aceito do Quarto Volume até o Sexto <3 




13 comentários:

  1. Olá!

    Mais uma resenha super bem feita, parabéns! Mas, ainda assim, não me chamou a atenção. Romances de época não são meu gÊnero favorito, mas a premissa é bem legal mesmo.

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Joanice!
    Amei sua resenha! Parabéns!
    Eu adoro romance de época, já li vários, menos os da Julia Quinn, acredita? Justa ela que é considerada a rainha do gênero. Morro de vontade de conhecer os Bridgertons, mas ainda não rolou a oportunidade. Quem sabe agora nas férias?
    Bjs!
    Quem Lê, Sabe Porquê

    ResponderExcluir
  3. Amoo romances de época e Julia Quinn e uma diva, os livros dela são lindos.
    Já tenho alguns Bridgertons aqui,mas também aceito os outro hehehe
    Meu problema é que só leio depois que tiver todos então ainda vai demora um pouquinho para ler.

    Bjin e até mais...
    http://reinoliterariobr.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oie lindona, tudo bom??? Eu sempreee quis ler uma resenha que explixcasse o início da série kkkkkk sempre vejo resenhas sobre o livro 5, 6... e ficava meio que: como isso começa? Adorei a resenha, foi bem esclarecedora e como eu já queria ler a série, vou adcioná-la a minha lista de desejos! Bjosssss

    http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Joanice, essa foi uma das minhas últimas leituras.
    E concordo com você como não se apaixonar por essa família.
    Morrendo aqui por ter só ele. Preciso dos outros.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  6. Oi Jo,
    Estou com os livros dessa série aqui na estante mas ainda não me animei.
    Falta o 4,5 e o 7.
    Só vou ler quando tiver todos.
    Pelo o que você escreveu a história é apaixonante e humana.
    Um romance de época para ninguém colocar defeito.
    Acho interessante nessa época de libertação para a mulher, esses livros que falem sobre a importância dos casamentos arranjados e das aparências que ditavam o futuro dos relacionamentos.
    E essa nota :) Amei :D

    Abraço e Bons Livros,
    Biblioteca do Coração❤

    ResponderExcluir
  7. Oie jo!
    Nossa, fiquei aqui lendo sua resenha e sorrindo, me identificando muito com essa familia doida e essa mãe da Daphne então? Uma peça!
    Quero muito ler algo da Julia e sei que vou ser praticamente obrigada a ler toda essa série e me divertir muito com essa familia!!
    Beijos

    LuMartinho | Face | Sorteio de Natal

    ResponderExcluir
  8. Oi, Joanice!
    Gostei muito desse livro, principalmente da Daphne. Ela é minha personagem feminina favorita. O bom dessa história é que tudo se passa em livro só. A gente não sofre esperando por uma continuação, rs.
    Beijos

    http://tudoqueeuli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Ola,
    Esses romances de época são sempre tão apaixonantes que sempre me sinto dentro do livro! A serie da Julia é uma das que estão na minha lista, apesar de ser bem cumprida, depois da sua resenha não tenho duvidas de que vale a pena!

    Beijokas

    ResponderExcluir
  10. Romance de época é simplesmente encantador, não é mesmo?
    Eu estou começando a me aventurar por esse mundo agora, então ainda não li nada da Julia, mas assim como a sua resenha, só leio elogios aos livros. Quero muito ler, mas não faço ideia de quando terei tempo, e são tantos livros na série que me deixa com um pouquinho de medo - não de ser grande, de não querer ler mais nada antes de terminar todos os livros dessa familia :)
    Parabéns pela resenha!
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  11. OI, tudo bem?
    Estou louca para ler esse livro e começar a série, porque só vejo elogios maravilhosos a essa família. Tenho o primeiro aqui e logo em janeiro já vou iniciar a leitura, porque não quero ser a única a não ter lido ainda, rs. Adorei a resenha, me deixou mais animada do que eu já estava.

    Beijos, Gabi
    Reino da Loucura

    ResponderExcluir
  12. Oiii!

    Menina, comecei a ler esse gênero esse ano né? Daí eu tô pipocando aqui para ler algum livro dessa autora e sempre vejo elogios para a escrita dela e sua resenha descobri que preciso mesmo ler HAHAHAHAHA.
    Adorei!
    A resenha está ótima!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  13. Eu tenho os 4 primeiros livros na minha estante e ainda não tive a oportunidade de fazer a leitura. Talvez eu comece a ler ano que vem, porque me parecem ser estórias simplesmente maravilhosas e ainda sabendo que cada livro conta a estória de um personagem diferente é ainda mais interessante. Eu adorei a maneira como desenvolveu a sua resenha, pois me chamou atenção e gostei do seu ponto de vista. Parabéns pela sua postagem caprichosa, pois adorei!

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/12/caixinha-de-correio-6-parte-2.html

    ResponderExcluir

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger