.28 de fev de 2016

#12MESESDEPOE: Janeiro e Fevereiro



Olá amores, prometi no final de janeiro que faria resenhas( leia-se comentários) sobre os contos de Edgar Allan Poe que ando lendo( Relendo) para o Desafio de 12 Meses de Poe.

O conto do mês de Janeiro foi Metzengerstein e o de Fevereiro chama-se O Demônio da Perversidade.

Para quem não conhece Egar Allan Poe, ele foi um dos maiores escritores da língua inglesa e se imortalizou com suas obras com fundo obscuro e simbólico. Entenda que Poe tinha como marca o uso de melancolismo e tristeza profunda no sentido psicológico da palavra. Edgar sempre foi um talentoso escritor, mas  como pessoa era imprudente e imaturo e suas obras mostram que a depressão reinava em sua vida, devido a más escolhas que tornaram sua passagem por esse mundo terreno insuportável e doloroso.

Vamos aos comentários sobre os dois contos:

É uma obra de profundo melancolismo e drama. Nesse conto, nosso narrador é observador. Ele narra a história das famílias de Berlifitzing e Metzengerstein que são rivais de forma similar as famílias de Romeu e Julieta.

Existia um oráculo que afirmava: "Um nome elevado sofrerá queda mortal quando, como o cavaleiro sobre seu cavalo, a mortalidade de Metzengerstein triunfar da imortalidade de Berlifitzing." 

O Conde Guilherme de  Berlifitzing já era de idade bem avançada e nutria diariamente seu ódio pela família rival, mas nunca abandonava sua paixão por caçadas e cavalos.

Na casa dos Metzengerstein, o jovem conde Frederico aprendia a lidar com a perda de seus pais e entrar no mundo dos negócios, já que sua família era riquíssima e bem vista em toda a localidade.

O jovem Frederico tornou-se um jovem imprudente e mundano. Nutria sua vida com orgias, jogos, bebedeiras e tudo mais. Era rico e não necessitava de regras para viver. O que ironicamente acontece é ele se encantar por um cavalo de porte forte e profundamente misterioso. A partir daí, o jovem só é visto com esse animal. Esse cavalo parecia a encarnação do próprio demônio e junto ao jovem Metzengerstein, os dois pareciam o inferno na Terra.

Frederico tornara-se um demônio. Recusava convites para festas e tornou-se alvo para fofocas maldosas. Era taxado de depravado andando com aquele cavalo enviado pelo próprio Satã.

Nesse ponto o velho conde da família rival já morrerá misteriosamente em sua fazenda num trágico acidente e após isso o cavalo endiabrado aparece nas terras dos Metzengerstein. Destino? Coincidência? Vingança? Quem sabe.

O final evidente que não vou contar, mas Poe mostra que emoções podem ser a ruína do ser humano. A voz do coração não pode ser a "mestra" de nossas ações. A dádiva da Razão nos foi dada para nos guiar e proporcionar uma vida equilibrada e saudável não só para nós, mas para todos  que estão ao nosso redor.



O Demônio da Perversidade em si não é um conto, mas uma conversa do interlocutor com seus leitores.

O narrador discursa sobre o "demônio" que vive dentro de nós.

Sabe aqueles desenhos infantis que aparacem o anjinho e o capetinha para tentar orientar o personagem confuso? Bem o Demônio da Perversidade é o capetinha.

Aquela vontade de fazer maldade por puro prazer. A maldade é a antítese da Bondade, Tão pura quanto a Bondade.

Assim como temos tendência em fazer bondade sem querer nada em troca, temos a vontade de violentar alguém por puro prazer.

Pense: Quantas vezes você já não se imaginou ferindo alguém que acabou com sua paciência? Ou lhe humilhou? Não vai me dizer que nunca quis matar aquele professor que cisma em lhe perturbar com provas difíceis e assuntos chatos?  Nunca quis estrangular aquela pessoa preconceituosa que cruzou o seu caminho ou de alguém que ama? Ou melhor quem nunca quis a pena de morte para políticos corruptos?

Nosso interlocutor afirma que a Perversidade é o nível mais perigoso da maldade. Ela é plena. Só se satisfaz com a humilhação completa e a violência escancarada e sem limites. Matar por matar. Ferir por ferir. Violentar o próximo por puro prazer.

Entretanto, nosso interlocutor não parafraseia esse assunto porque foi pedido, mas porque viveu isso. Claro que não vou contar o que aconteceu, todavia nosso curioso narrador alerta que existem mecanismos que controlam nossa ânsia por perversidade, então é injustificável matar por puro prazer. Nenhum desejo de violência tem justificativa....ele fala isso por experiência adquirida.

 O próximo conto que será lido é Hop-Frog.
Até mais!
Beijos!



15 comentários:

  1. Olá,

    amei seu blog, que design lindo! e seu post está muito bacana ♥

    vc ja conhece o blogueira que inspira ?

    www.blogueiraqueinspira.blogspot.com.br

    se me seguir, te sigo de volta !

    ResponderExcluir
  2. Ola tudo bem?

    Nunca li nada do autor, apesar de ouvir muito bem, ele é consagrado.
    Achei bem interessante os contos, tem uma pegada mais de suspense, e essas ilustrações o.O medinho srrsrsr



    Bjos

    http://rillismo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Tenho acompanhado essas postagens de Poe e acabei lendo esse conto ♥ O fato dele meio que falar com os leitores achei tamanha inteligência.
    É um conto legal, dos que li até agora foi o mais interessante. Faz a gente refletir muito.

    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

    ResponderExcluir
  4. Oiee,
    Não conhecia o Poe e pelo oque eu li vi que ia adorar os livros dele, é um gênero que eu gosto bastante.

    Abraços!
    http://lendocomobiel.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi!

    Conheci esse autor nas aulas de literatura da faculdade, onde realizei a leitura de alguns de seus contos. Bem que toda leitura obrigatória de faculdade poderia ser assim rsrs
    Esses contos eu ainda não li, mas os dois parecem bons. Não curto o gênero terror, mas tiro uma exceção para o Poe.

    ResponderExcluir
  6. eu reli ambos porque tbm tô participando do desafio :D
    Gosto de ambos, e já tô ansiosa pra reler o terceiro do desafio... Poe é sua melancolia me conquistaram anos atrás, quando era adolescente ainda...

    ResponderExcluir
  7. AI QUE LINDO, VOCÊ ESTÁ PARTICIPANDO DO DESAFIO #LENDOSHERLOCK2016 (miga, ele passou por mudanças e agora é #60CASOSSHERLOCK, eu expliquei no Blog HAHAHAHAH)
    Sobre o post de hoje, você escreve muito bem, fiquei encantada!
    Gosto muito de Poe, e estou participando do desafio, embora não tenha publicado nada sobre ele no blog, além da apresentação HAUEHAHEUAHE
    "Demônio da Perversidade é o capetinha." HAHAHAHAHA ADOREI
    Seu blog é lindo, tô apaixonada!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  8. Oi Jo, adorei as resenhas dos respectivos contos. Sou fã do gênero, mas nunca li nada do autor (que vergonha), acho interessante livros que abordam essa temática, do MAL que habita o ser humano e sua psicologia.

    Beijokas da Quel ¬¬
    Literaleitura

    ResponderExcluir
  9. Ah que legal, você também está fazendo parte desss projeto. O Poe tem uma escrita maravilhosa e um clássico para a literatura.
    Bj
    Camila Bernardini Coelho

    ResponderExcluir
  10. Oiiie
    Eu sempre tive curiosidade com a escrita do autor e achei bem legal o projeto, não sei se lerei algo dele por agora mas com certeza mais para frente eu vou tentar

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Joanice, já tinha ouvido falar sobre esse 12 meses de Poe.
    E tenho mega vontade de ler mais coisas do autor porque só li um conto dele que nem lembro qual foi.
    Adorei as histórias dos contos e me interessei mais ainda.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
  12. Hello!

    Acho que nunca nada do Egar Allan Poe, mas sei da fama dele e que é um classico.
    Estou acompanhando o #12MESESDEPOE e fiquei com vontade de ler esse conto, ainda mais que tem uma pegada mais de suspense e misterio.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  13. Olá!

    Adorei seu desafio, eu vi resenhas desses contos em outro blog e são incríveis! Espero a resenha do próximo! Li há tempos Poe, e esse desafio é uma ótima pedida de sugestão para eu conhecer mais sobre as histórias do autor.

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Ola!!
    Eu conheço o autor por causa das aulas de literaturas e pelo fato de eu ter lido um livro no qual o assassino dava as dicas dos crimes através de trechos de obras desse autor.
    Porem, pelo que eu pude perceber ele não se enquadra muito no meu estilo literário e lê-lo seria uma saída gigante da minha zona de conforto.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  15. Oie, tudo bom?
    Já conhecia o projeto e acho muito interessante, ainda mais de um autor que conheço pouco. Acho interessante essas leituras de contos, mas não curti a premissa desses.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger