.8 de ago de 2016

[Resenha] Os Amantes de Hiroshima #3 - Toni Hill

Título: Os Amantes de Hiroshima #3
Autor: Toni Hill
Editora: Tordesilhas
Ano: 2016
N° de Páginas: 503

Sinopse:
Em uma cidade que se ergue contra os poderosos, há segredos que continuam debaixo da terra. Em maio de 2011, em uma casa abandonada perto do aeroporto, a polícia de Barcelona encontra dois mortos envoltos em uma mortalha de flores. Abraçados, eles foram ali sepultados junto com uma grande quantia de dinheiro. Héctor Salgado e sua equipe são encarregados da investigação, um quebra-cabeça cercado de pistas demais. Enquanto isso, o inspetor Salgado, mais do que nunca unido à agente Leire Castro na busca por sua ex-mulher, também precisará investigar o que nunca imaginara até chegar à obscura origem do desaparecimento de Ruth e a uma verdade de consequências trágicas e imprevisíveis.



Os Amantes de Hiroshima é um livro de grandes revelações de segredos, planos macabros e mentiras que vieram à luz depois de décadas de omissão.

O inspetor Héctor Salgado vem lutando há um ano com a sensação de perda e solidão com o desaparecimento de sua ex esposa Ruth que até hoje não foram encontradas evidências de seu paradeiro e agora ele se depara com um caso bem peculiar: um casal de cadáveres é encontrado numa casa perto do aeroporto de Barcelona e estavam abraçados como se esperassem aquilo e muitos quadros com a reprodução dessa cena macabra estão na sala desse lugar.

Héctor, Leire – agora mãe do fofo do Abel – e Roger Fort se juntam para desvendar esse mistério que envolve um drama estranhamente bem articulado. Os cadáveres encontrados são de um casal de namorados: Cristina Silva e Daniel Alvadeera. Eles eram estudantes de Artes e apaixonados, mas tinham uma relação triangular. Seu namoro tinha uma terceira pessoa: Ferran Badía que foi preso numa clínica de reabilitação após o desparecimento deles há quase oito anos. Ferran é um jovem de paixões avassaladoras, aficionado pela Morte e por Cristina.


As investigações seguem seu curso natural, mas cada nova revelação mostra que essa morte vai além das evidências coletadas e que confissões foram mentirosas e os verdadeiros culpados estão livres da Justiça. Leire e Roger descobrem que Daniel fazia parte de uma banda com seus amigos Leo Andratx, Hugo Arias e Isaac Rubio. Juntos eram inseparáveis, porém no dia do desaparecimento do casal, uma briga abalou essa amizade verdadeira.

“ [...]. Que parece bonito de longe, até que a gente se aproxima e vê que é a mesma merda que o presente. ”

Paralelamente ao caso, o desaparecimento de Ruth vai se desenrolando e mostrando verdades nunca antes questionadas. A ditadura espanhola vem à tona e segredos de pessoas que Leire e Héctor respeitam surgem e colocam em dúvida a honestidade da Polícia local. Ruth fora vítima de algo maior que todos pensavam e simplesmente fora usada para aniquilar um erro do passado.

Então, quem será que está envolvido no desparecimento da ex esposa de Héctor? Qual pessoa de confiança causou tanta dor no nosso inspetor espanhol? Quais os segredos por traz da morte do casal? Por que Cristina e Daniel foram brutalmente assassinados? E seus amigos escondem alguma verdade?
Todos os personagens desse último livro da trilogia Inspetor Héctor Salgado são bem trabalhados. Os envolvidos na morte de Cristina e Daniel são apresentados após a leitura de um conto intitulado Os Amantes de Hiroshima que conta fielmente uma história similar vivida pelo triângulo amoroso – Cris, Daniel e Ferran – e que vai parar nas mãos dos investigadores e que fundamenta todo o desenrolar desse mistério.

Nesse livro temos um Héctor mais forte e pai presente. Ele já aceita melhor a possível morte de sua ex e seu envolvimento com Lola – a sua amante do passado e que culminou o fim do seu casamento – está abalado, porque o inspetor se envolveu com ninguém mais que Leire Castro. Isso mesmo, Salgado se envolveu com sua subalternada e essa relação vai ser complicada de todos os pontos, porém adorei a evolução desse romance até o final que foi completamente diferente do que esperava.

" A felicidade dura pouco para gente como nós. ”

Leire aqui já é uma mulher mais emotiva com relação as mudanças de sua vida. A maternidade lhe rendeu mais sensibilidade com os problemas alheios, todavia acrescentou um tom mais dramático em suas escolhas. Hoje não pode ser mais irresponsável e não pensar nas consequências, já que é mãe de Abel. Sua relação com o pai do seu filho está indefinida e piora com seu envolvimento com Héctor.
Ferran Badía o terceiro do triângulo amoroso é um jovem melancólico e profundamente pessimista que se envolveu com Cristina e Daniel para acrescentar um tom mais vigoroso e teatral a sua vida e sente-se parte desse drama maior que é a morte de seus “amantes”.

Os amigos de Cristina e Daniel são Leo que é um homem que adora gozar de coisas boas e sempre quis ser mais popular que Daniel e esconde um segredo cabeludo de todos. Hugo é um jovem frustrado que é casado com Cristina – amiga da falecida – e que vive dos fantasmas do passo e finalmente Isaac que é o mais novo e sem perspectiva de vida que vive à mercê da “roda da fortuna”.

“ Sempre há um golpe que nos joga de novo na miséria, e, quanto mais a gente sonha com a felicidade, maior é a porrada. ”

O interessante desse enredo é a teia de segredos que aparece no meio do livro. Nada pode ser descartado desses casos. Como Sherlock gosta de dizer “nenhuma das hipóteses/possiblidades podem ser descartadas até que sejam desclassificadas. ”

Toni Hill não diminuiu sua qualidade em nenhum momento e as 500 páginas passaram tão rapidamente que quase choro quando finalizei a leitura. E que final foi esse, senhores! O Grand Finale foi uma facada rápida e precisa no pescoço dos leitores. O grande vilão da história nunca foi quem nós apostamos e Hill deve ter se deliciado com nossa confusão e falta de tato para o que as evidências diziam.


A capa do livro tem toda a essencialidade da história que se desenrola com a leitura do conto chamado de Os Amantes de Hiroshima que é uma analogia ao “amor” de Cristina, Daniel e Ferran e que foi contada por alguém passional e interessado neles.

A diagramação está com uma fonte legível, folhas amarelas e a resistência das mesmas melhorou demais, já que em O Verão das Bonecas Mortas e Os Bons Suicidas, as folhas eram frágeis.

Toni Hill se consagra com essa trilogia um dos escritores de suspense policial com maior talento para envolver seus leitores com enredos fascinantes, macabros e cheio de teias de segredos e mentiras. Os Amantes de Hiroshima encerra com destreza seu trabalho de qualidade.


10 comentários:

  1. Oii
    Nossa confesso para voce que quando eu li o título do livro e vi a capa imaginei uma coisa totalmente diferente do que a sua resenha me mostrou.
    Não conhecia o livro e fiquei mega interessada na história.
    Anotei aqui o nome e vou buscar os livros anteriores para nao ficar perdida.

    Beijão

    ResponderExcluir
  2. Oi Jô
    Já estou apaixonada pela série só lendo suas resenhas, adoro tramas policiais cheias de mistérios, reviravoltas e dramas, vou em busca desses livros para mim.
    E essa capa está muito linda, dá até vontade de colocar em uma moldura e pindurar na parede.

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Eu não conhecia essa trilogia, mas adoro livros de suspense policial e fiquei interessada na obra.
    Achei a premissa interessante, adoro triângulos amorosos e esse enredo permeado de segredos!
    A obra parece ter uma narrativa envolvente e fiquei super curiosa com esse final.
    Dica mais do que anotada!
    Ótima resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oiee

    Eu adoro um bom suspense. Preciso logo começar a ler essa trilogia.
    Gostei muito da resenha, esse livro é bem do jeito que eu adoro, quando vários segredos vão vindo a tona. Excelente!
    Esse mês farei uma comprinha e já vou acrescentar na minha lista rs.
    Excelente resenha!!

    bjs
    Fernanda
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    Eu gosto de livros onde o final é surpreendente, deixando todos os leitores de boca a berta. Eu ainda não conhecia esse livro, mas fiquei bem empolgada com a leitura, e espero fazer isso em breve.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  6. Olá.
    Nunca tinha ouvido falar no livro, mas eu amei a premissa e anotei o livro aqui entre meus desejados.
    Fiquei curiosa sobre essa teia de segredos que aparece no meio do livro, vou seguir sua dica de não descartar nada.
    Adorei sua resenha.

    ResponderExcluir
  7. Oie! Lembro que gostei bastante do que li sobre Os Bons Suicidas e até fiquei curiosa. Lendo agora essa resenha só me deixou mais intrigada. Muito bom quando chegamos ao final e nos surpreendemos. Mistério e suspense bom é assim. Tentarei ler algum dia.
    Bjo
    www.viciadosemleitura.blog.br

    ResponderExcluir
  8. Oie
    não é bem meu gênero de leitura mas bem legal o enredo e a resenha está muito bem escrita, parabéns

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá, não conhecia a trilogia, mas parece ter tudo que eu gosto em um livro, mistério, investigação policial, uns toques bem macabros.
    e também adorei o titulo de cada livro, bem diferentes e criativos.
    com certeza quero conferir.

    ResponderExcluir
  10. Não é um livro que faz o meu estilo de leitura, mas como eu quero muito sair da minha zona de conforto, com certeza eu dou uma chance.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger