.10 de ago de 2016

[Resenha/Especial HP] Harry Potter e o Enigma do Príncipe

Título: Harry Potter e o Enigma do Príncipe
Autora: J.K. Rowling 
Editora: Rocco
Ano: 2005
N° de páginas: 512
Sinopse:
Harry Potter e o Enigma do Príncipe dá continuidade à saga do jovem bruxo Harry Potter a partir do ponto onde o livro anterior parou, o momento em que fica provado que o poder de Voldemort e dos Comensais da Morte, seus seguidores, cresce mais a cada dia, em meio à batalha entre o bem e o mal. A onda de terror provocada pelo Lorde das Trevas estaria afetando, até mesmo, o mundo dos trouxas (não-bruxos), e sendo agravada pela ação dos dementadores, criaturas mágicas aterrorizantes que “sugam” a esperança e a felicidade das pessoas. Harry, que acabou de completar 16 anos, parte rumo ao sexto ano na Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, animado e, ao mesmo tempo, apreensivo com a perspectiva de ter aulas particulares com o professor Dumbledore, o diretor da escola e o bruxo mais respeitado em toda comunidade mágica.Harry, longe de ser aquele menino magricela que vivia no quarto debaixo da escada na casa dos tios trouxas, é um dos principais nomes entre aqueles que lutam contra Voldemort, e se vê cada vez mais isolado à medida que os rumores de que ele é O Eleito, o único capaz de derrotar o Lorde das Trevas, se espalham pelo mundo dos bruxos. Dois atentados contra a vida de estudantes, a certeza de Harry quanto ao envolvimento de Draco Malfoy com os Comensais da Morte e o comportamento de Snape, suspeito como sempre, adicionam ainda mais tensão ao já inquietante período.Apesar de tudo isso, Harry e os amigos são adolescentes típicos: dividem tarefas escolares e dormitórios bagunçados, correm das aulas para os treinos de quadribol, e namoram. Rony e Hermione os melhores amigos de Harry, se dão conta (finalmente!) da atração que sentem um pelo outro; Harry e Gina, a irmã mais nova de Rony, também.



Contém Spoilers

Neste sexto ano de Hogwarts coisas estranhas começam a acontecer, tanto no mundo bruxo, quanto no mundo dos trouxas. Acontecimentos inexplicáveis que colocam a todos em pânico e preocupam o mundo do bruxo de os trouxas saberem de sua existência. Desde a volta de Lord Voldemort tudo mudou. O ministro da Magia, Cornélio Fudge, acaba deixando o cargo e dando lugar a Rufo Scrimgeour, que tenta manter a ordem e a paz nos dois mundos. E é dessa forma que o livro começa, já bem diferente dos outros cinco. O novo ministro da Magia está indo para o gabinete do Primeiro-Ministro trouxa para uma conversa e colocar tudo a panos limpos depois que uma ponte cai ferindo vários trouxas. Esse clima de suspense percorre o livro todo.

Inusitadamente Harry recebe a visita de Alvo Dumbledore na Rua dos Alfeneiros, e o diretor acaba aparatando consigo para  um pequeno povoado em busca de um velho amigo. Sem entender nada, Harry apenas consente e parti para o povoado com o professor. Aparentemente esse velho amigo é também um professor e Dumbledore quer convencê-lo a voltar dar aulas em Hogwarts, e levara Harry na tentativa de convencê-lo a aceitar a proposta. Depois de muito o professor Horácio Slughorn aceita e Harry fica sem entender de o porque Dubledore querer tanto ele.

Em Hogwarts a tensão está cada vez maior. A segurança do castelo fora reforçada assim como todos os alunos foram revistados antes de entrar na escola. Harry, Rony e Hermione teem uma grande surpresa ao saber que finalmente Snape ira assumir o cargo de professor de Defesa Contra as Artes das Trevas, enquanto Horácio assume o posto de professor de Poções.  Nas aulas de Poções Harry acaba recebendo o livro para estudar, já que não havia comprado o seu. Um livro já velho e surrado e repleto de anotações feitas à mão. Essas anotações extras são como dicas para executar melhor as poções, e acabam melhorando muito o lado para Harry. Curioso, Harry folheia o livro para saber de quem era, e acaba encontrando apenas “Este livro pertence ao Príncipe Mestiço”.

Em paralelo a isso acompanhamos acontecimentos mais estranhos ainda dentro de Hogwarts. Alunos acabam sendo “envenenados” com objetos recebidos que seriam endereçados a Dumbledore. Alguém queria ferir gravemente o diretor. Harry acaba desconfiando de Draco Malfoy, que ultimamente anda se esgueirando pelos corredores como se estivesse aprontando algo.

Ainda em paralelo a isso tudo, Dumbledore decide mostrar a Harry algumas lembranças que ele coletou durante sua vida com a ajuda da Penseira. E não são quaisquer lembranças, são sobre o passado de Lord Voldemort. Harry então vai mergulhar na infância de Voldemort, na sua adolescência e inicio da vida adulta. Mas porque Dumbledore está mostrando isso a Harry? E qual realmente é a intenção do diretor em ter trazido Horácio Slughor novamente para dar aulas?

Harry Potter e o Enigma do Príncipe é um livro mais sombrio em comparação aos outros. Tudo começa a se fundir e os bruxos acabam sendo que uma ameaça para os trouxas. Draco acaba se tornando o maior coadjuvante deste livro, sendo o tempo todo sorrateiro, se esgueirando pelos corredores realmente aprontando alguma coisa, mas o que seria? Harry desconfia dele depois que Catia Bel, uma aluna da Grifinoria é envenenada. Draco está mais sisudo, mais fechado, não perde mais tempo com seus capangas Crabbe e Goyle, e Harry desconfia mais ainda que ele tenha se tornado um Comensal da Morte.

Horácio Slughorn em primeira impressão é um personagem divertido, carismático, que ajuda muito Harry e tem até um amor exacerbado pela pessoa que ele é. Mas em segunda impressão ele se mostra um personagem misterioso, forte e de extrema importância para a trama. 

Nesse livro Harry está mais preocupado e mais curioso para descobrir o motivo dos acontecimentos inexplicáveis, entretanto ele também está confuso, introspectivo e nervoso, já que descobre que está apaixonado pela irmã do seu melhor amigo, Gina.

Em suma geral, é o livro que mais explora o mundo bruxo e expande a cabeça do leitor para varias direções trazendo pontos tão bem trabalhados e apresentados. O passado de Voldemort é em si muito sofrido, se analisarmos bem, o que poderia “ser” até aceitável pelo que tenha se tornado nos dias atuais. Essa talvez tenha sido a grande proposta da autora para os leitores, querendo mostrar um ponto de vista diferente e ficarmos pensando se odiamos ou se amamos o vilão.

É um livro muito emocionante. Ocorrem coisas muito expressivas e bem trágicas. Quando li pela primeira vez o desfecho de Enigma do Principe, fiquei completamente boquiaberto e sem palavras. J.K.Rowling arrasa os corações dos leitores e nos deixa angustiados para o próximo livro.

Até a próxima resenha e boa leitura.



2 comentários:

  1. caro Douglas, Rowling pode até estar trabalhando o leitor para um olhar mais humano de Voldemort, mas continuo sendo do time que fica torcendo para que ele se dê mal, rs.
    amigão, mais uma resenha especial, escrita por alguém que é fã de carteirinha, por isso aprecio tanto suas palavras. parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Caro Douglas, que resenha cheia de detalhes, quanta coisa boa pude apreender de suas palavras! Eu, completamente alheia ao mundo HP. Não sei nadica de nada desse universo fantástico e tão amado pelos leitores...
    O que posso dizer é que tenho muita curiosidade em conhecer a saga. Só me desanima saber que são muitos livros necessários para acompanhar tudinho. Não que isso seja um problema, mas é que sou um tanto rebelde a séries. Sei que o fenômeno se explica pela qualidade ímpar da história criada por J.K. Rowling, e que não deveria e preocupar, pq certamente depois do primeiro e fisgada pelo bruxinho, fatalmente desejarei mais outros, então tudo se resolve.
    Adorei sua resenha, mexeu com minha vontade de começar - tardiamente - a ler HP.
    Abraço!

    ResponderExcluir

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger