.1 de set de 2016

[Especial Os Olimpianos/Resenha] Percy Jackson e O Ladrão de Raios

Título: Percy Jackson e o Ladrão de Raios
Autor: Rick Riordan
Editora: Intrínseca
Ano:2008
N° de páginas: 400
Sinopse:
Primeiro volume da saga Percy Jackson e os olimpianos, O ladrão de raios esteve entre os primeiros lugares na lista das séries mais vendidas do The New York Times. O autor conjuga lendas da mitologia grega com aventuras no século XXI. Nelas, os deuses do Olimpo continuam vivos, ainda se apaixonam por mortais e geram filhos metade deuses, metade humanos, como os heróis da Grécia antiga. Marcados pelo destino, eles dificilmente passam da adolescência. Poucos conseguem descobrir sua identidade.
O garoto-problema Percy Jackson é um deles. Tem experiências estranhas em que deuses e monstros mitológicos parecem saltar das páginas dos livros direto para a sua vida. Pior que isso: algumas dessas criaturas estão bastante irritadas. Um artefato precioso foi roubado do Monte Olimpo e Percy é o principal suspeito. Para restaurar a paz, ele e seus amigos - jovens heróis modernos - terão de fazer mais do que capturar o verdadeiro ladrão: precisam elucidar uma traição mais ameaçadora que a fúria dos deuses.

A Saga dos Olimpianos simplesmente me surpreendeu e a escrita de Rick me conquistou da forma mais profunda e emocionante possível. Essa foi a segunda vez que tentei lê-la e em seis dias terminei os cinco livros.

Percy Jackson e O Ladrão de Raios se inicia com uma visita de Percy, um garoto de 12 anos de idade que tem déficit de atenção e dislexia que causa problemas em seu aprendizado escolar e que parece ter um ímã para acontecimentos esquisitos, ao Museu de História em Nova York e sente-se mal porque está sendo observado por todos. Fora advertido que qualquer brincadeirinha causará sua expulsão imediata. Grover seu amigo inseparável ajuda-lo nessa missão, mas o que eles não esperavam é que o “Chamado” de Percy fosse acontecer naquele mesmo dia.

Nessa vida a professora de Percy tenta mata-lo e isso deixa o garoto chocado. Como sua professora de matemática roliça e autoritária se transformara em uma criatura demoníaca e atentara contra sua vida? O que o jovem não sabia é sua vida carrega grandes segredos. Sua professora na verdade é uma Fúria – um monstro do Submundo – que foi enviada para eliminá-lo, pois o jovem é filho de um deus do Olimpo com uma mortal, o que o torna um semideus.

“ Quando me olha, é como se estivesse vendo todas as coisas boas em mim, nenhuma das ruins. ”

O professor de Literatura também tem sua identidade revelada. Ele nada mais é que Quíron, um centauro recrutador do Acampamento Meio-Sangue e seu amigo Grover na realidade é um sátiro com a responsabilidade de proteger os semideuses. Percy só irá saber disso tudo quando for ao Acampamento, após a morte de sua mãe que tenta o defender do Minotauro na entrada do Acampamento.


Tomado pela raiva da morte de sua mãe, Percy jura vingança contra quem o persegue. No acampamento o garoto descobre que é filho de um dos Três. Diferente do filme, Percy descobre que é filho de Poseidon num jogo de pega a bandeira quando um cão do inferno tenta mata-lo e a água parece fortalece-lo e após a vitória de Percy contra o cão, o símbolo do deus dos mares aparece consagrando o menino como um semideus forte e perigoso.

“ – Poseidon – disse Quíron. – Senhor dos Terremotos. Portador das Tempestades. Pai dos Cavalos. Salve, Perseu Jackson, Filho do Deus do Mar. ”

A descoberta desperta uma ira incontrolável no Olimpo, pois existe um Tratado entre Hades, Zeus e Poseidon que proíbe a existência de filhos (semideuses) desses deuses, pois são crianças poderosas e atraidoras de Monstros e caos por onde andam. Com a existência de Percy, já contam duas quebras nessa Lei. Zeus também teve filhos. Sua filha Thalia morrera na entrada do Acampamento salvando Grover, Luke e Annabeth e se tornara a árvore que protege o local contra as forças malignas.

Percy é acusado de ter roubado o raio mestre de Zeus e o deus começa a persegui-lo de todas as formas. Hades também acusa o filho de Poseidon de ter roubado sua capa poderosa e o garoto se ver forçado a “limpar” seu nome dessa trama maligna e audaciosa. Ele, Grover e Annabeth – filha de Athenas – juntam-se numa missão de descobrir o verdadeiro culpado dessa armação e evitar uma guerra no Olimpo antes do solstício de verão.

“ Os deuses são infiéis. O veneno está no seu coração. ”

Nessa jornada, Percy descobrirá que nem sempre as pessoas que estão próximas de nós são amigas de verdade. Que presentes podem ser armadilhas mortais e que o amor nasce nos momentos mais impróprios.

Percy Jackson é um jovem bem perdido nisso tudo. Ele não sabia que a Mitologia Grega era verdade e que o Olimpo o odeia. Sendo filho de Poseidon, ele herda suas maldições e inimigos mortais. Ele é corajoso, mas tem um defeito intenso: Lealdade sem fim. Quando comecei a conhecer o personagem me lembrei das atitudes de Sam e Dean na série Supernatural que por terem uma relação fraternal incondicional, eles sempre causavam o caos no mundo para se manterem vivos e unidos. O jovem semideus age da mesma forma. Ele é capaz de destruir o Tártaro para salvar as pessoas que ama, todavia nunca pensa que o Destino é o deus supremo da Vida.

Annabeth que se torna amiga de Percy contra as leis olimpianas, pois sua mãe e o pai de seu novo amigo são rivais mortais. Ela é mais sábia, madura e teimosa que Percy. Ela não se dar bem com seu pai mortal e ver seus amigos e o Acampamento como seu lar. Ela é amiga de longa data de Luke, filho de Hermes, e da falecida Thalia. Annabeth se tornará o céu e o inferno de Percy.


Luke é forte, bonito, misterioso e muito amigável com Percy, assim que ele chega ao Acampamento. Ele é um lutador exímio e sente-se protetor de Annabeth, mas esconde um lado perigoso e misterioso.
O enredo é divertidamente fluído. A narração de todos os livros da saga Os Olimpianos é feita por Percy e isso gera uma intimidade entre o leitor e o narrador, pois conhecemos as dúvidas, medos, sentimentos e pensamentos de forma verdadeira e nos divertimos com as loucuras dele e acompanhamos seu amadurecimento até o último livro.

Rick Riordan consagrou-se como maior escritor de fantasia juvenil nesse século e confesso que o título é merecido. Ele criou um universo singular e desperta a paixão dos leitores com a mitologia grega e agrega problemas educacionais em seus livros. Os semideuses têm déficit de atenção e dislexia aliada a hiperatividade e isso nos traz a importância do trabalho diferenciado com crianças assim. Eu me senti bem, pois tenho TDAH e Hiperatividade e assim como Percy tive vários problemas na vida escolar.

Espero que se deleitem com uma leitura fantástica e bem trabalhada e sintam-se encantados por esse mundo de deuses e inimigos poderosos, na qual se baseia a obra do Tio Rick que demonstra que Fantasia pode ser elegante e cativante mesmo com uma escrita simples e clichê e não precisa de dez anos para que um enredo magnífico seja feito.


7 comentários:

  1. Oii!
    Tenho bastante curiosidade de ler essa série porque tenho uma amiga que leu e super recomenda! Com certeza quero ler um dia para saber se é tão bom mesmo rs Ótima resenha, flor ♥

    Beijão!
    http://cantinhodosrabiscos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Ai Deus me sinto tão por fora porque nunca li a história de Percy! Porém preciso confessar que eu não sei o motivo. Vontade é o que não falta. Parabéns pela resenha, gosto quando ela traz bons quotes

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Não curto muito esses gêneros, não fazem meu estilo. Porém, a resenha ficou ótima. Parabéns!!
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  4. Olá, Jô. Que bom que a série te pegou de jeito. Confesso que hoje em dia não me chama atenção. Mas tenho certeza que se eu tivesse lido anos atrás teria gostado. Mas meu marido que começou a ler ano passado está adorando. Ele começou com a série Harry Potter e depois passou para Percy e amou. Haha Aos poucos fico tentando inserir novos gênero. Mas foi o que o trouxe para o mundo da leitura, então já é um passo.

    beijinhos.

    ResponderExcluir
  5. Oi!!
    Ainnn, eu amo essa série, amo o Tio Rick rsrsrs. Eu resolvi ler os livros depois de ter assistido o filme, tá bom que o filme não é isso tudo, mas foi graças a ele que conheci os livros.
    Beijão!!

    ResponderExcluir
  6. Olá, Joanice! Uau!!! 6 livros em 5 dias! Pelo jeito esta é mesmo uma saga daquelas contagiantes, que não se consegue parar de ler né? Embora saiba do sucesso da obra, nunca a li. Mas pela sua resenha (que está ótima) vejo que é muito bem construída! Parabéns! Certamente os fãs do livro focarão felizes por ler o seu texto!

    Bjs,
    Yohana Sanfer
    http://www.papelpalavracoracao.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Gosto bastante de mitologia, mas prefiro a celta. Gosto do filme, apesar de muita gente dizer que mal tem a ver com o livro hahaha. Acho que já se passou muito tempo para eu querer, de fato, ler esses livros. Meu irmão adora, mas não sinto vontade de pedir emprestado, não. Gosto do Percy, ele é bem parecido com o Harry Potter, mas menos bobinho (porque, meu Deus, alguém já viu um herói tão bobo quanto o Harry? E olha que eu a m o a saga). Acho que o Percy é mais corajoso, embora acredite que, pelo fato de o filme ter colocado um personagem mais velho, talvez tenham jogado essa bravura nele. Talvez, no livro ele seja mais parecido com um garoto de doze anos como todos os outros hehe.
    Adorei sua resenha, dá pra ver que você se tornou fã incondicional da saga. Acho muito bom quando isso acontece. Espero que leia as outras séries do autor, pois dizem que são igualmente ótimas! :)

    Love, Nina.
    http://ninaeuma.blogspot.com/

    ResponderExcluir

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger