.26 de jan de 2017

[Cine Pipoca] Quando as luzes se apagam

Título Original: Lights Out
Ano: 2016
Produção/Direção: David F.Sandberg
Gênero: Terror/Suspense
Duração: 90min.

Elenco:
Teresa Palmer 
Amiah Miller 
Gabriel Bateman
Alexander DiPersia
Alicia Vela-Bailey 
Ava Cantrell 
Lotta Losten 
Andi Osho 
Maria Bello 
Sinopse:
Desde que era pequena, Rebecca tinha uma porção de medos, especialmente quando as luzes se apagavam. Ela acreditava ser perseguida pela figura de uma mulher e anos mais tarde seu irmão mais novo começa a sofrer do mesmo problema. Juntos eles descobrem que a aparição está ligada à mãe deles, Rebecca começa a investigar o caso e chega perto de conhecer a terrível verdade.

 Quando as luzes se apagam é aquele filme que só funcionou nos últimos vinte minutos e que poderia ser melhor.



Rebecca é uma jovem tatuadora que tem sérios problemas com sua mãe após a morte de seu pai. Decidiu quando tinha 16 anos em deixar sua casa e viver sozinha, porque não aguentava mais os delírios e loucuras de sua mãe que vivia tendo recaídas com remédios tacha preta para controlar seu humor e sanidade.


Quando Becca era pequena sempre teve medo de ficar sozinha e surtava quando as luzes de sua casa eram desligadas, porque acreditava que existia ali um espírito que perturbava a paz de seu lar e que por ironia parecia falar com sua mãe e desequilibrar a frágil mente dela. Após anos, a mesma assombração atormenta seu irmão caçula que vive com sua mãe Sophie.

Seu irmão caçula Martin em uma noite acorda assustado com vozes pela sua casa. Ele chama por sua mãe – Sophie – e se depara com ela falando “sozinha” olhando para um quarto vazio. Ela diz para ele dormir e ao se despedir dela ele olha garras imensas e uma figura estranha atrás de sua mãe e sai correndo. A criatura sinistra que também matará o pai dele é Diana, uma amiga sombria de sua mãe na infância e que parece ligada eternamente a ela.


No dia posterior Martin não passa bem na escola e sua irmã Becca é chamada para leva-lo para casa. Sabendo – por Martin – que as insanidades de sua mãe retornaram e estão abalando seu irmão, ela decide leva-lo para seu apartamento mesmo sendo proibida pelo Conselho Tutelar em estar com ele e assim tenta acalmá-lo. Nesta mesma noite Diana visita a casa de Becca para assombra-la e a jovem começa a perceber que seus temores noturnos na infância não faziam parte de delírios de criança e sim eram reais e intrinsicamente ligados a Sophie e seu passado obscuro.

Munida de coragem e farta dessa perseguição à sua família, Becca decide enfrentar Diane e começa uma caçada sobre sua história e sua ligação com sua mãe. Ao seu lado está seu “namorado” e companheiro Bret que é um homem apaixonado por Rebecca e pronto para transmitir a ela que quer ficar ao seu lado não importa os problemas e o pequeno Martin que está preocupado com sua mãe.


O enredo do filme se baseia na ligação obscena e estranha entre Diana e Sophie, porque a aparição é de uma jovem morta há anos que parece sobreviver por causa de sua amiga de infância, porém essa amizade já resultou em mortes e perseguições constantes que devem acabar, porque passaram dos limites aceitáveis.

A história em si é fonte de muita atração para o público, mas numa versão de curta-metragem como era antes. Ao passar para uma produção mais longa, o enredo perdeu uma qualidade absurda, porque não existe um terror real e sim um suspense típico daqueles de seriais killers. Entendam que terror não é um gênero e sim um subgênero do Suspense e por isso não existe terror sem suspense, mas pode haver suspense sem terror. O filme não cumpre o prometido e só funcionam nos últimos vinte minutos finais.


Diana é uma personagem que dar medo porque ela controla Sophie e não permite que ninguém tente der os remédios de tacha preta para aliviar suas tensões cerebrais. Ela sente ciúmes dos filhos de Sophie e pode aparecer em todos os lugares através da escuridão. As luzes se apagam e seu show começa.

Rebecca é uma personagem forte, porém tem uma teimosia infundada. Não consegue ou não quer compreender os problemas de sua mãe e ao invés de ajuda-la quando perdeu seu marido – pai dela – ela simplesmente decidiu abandoná-la com seu irmão. Não podemos julgá-la porque a pressão foi absurda, mas Martin – o caçula – sabe que sua mãe sofre com problemas psicológicos mais com o domínio de Diana, todavia não consegue deixar sua mãe a mercê do Destino e tenta a todo custo ajuda-la.


Bret é o namorado de Becca que é super compreensível mesmo não sabendo dos problemas familiares dela e sempre está disposto a ajudar Rebecca mesmo que seja roubar um banco e no final do filme conseguiu ganhar meu coração com seu posicionamento.

O filme é um bom entretimento, mas não espere por algum filme de terror brutal ou clássico. Diminua suas expectativas e aguarde por uns sustos bem inesperados e uma tensão constante e uma paranoia quando as luzes se apagam. Será que Diana não estar em nossos lares quando apagamos as luzes...?



13 comentários:

  1. Ain meu Deus, que sensacional, quero muito assistir esse filme, adoro filmes assim, meio terror, já vou procurar pra ler <3

    www.memoriasdeumaleitora.com.br

    ResponderExcluir
  2. Oi, Joanice.
    Sou super medrosa para filmes de terror, então se tiver que ver algum, que seja bom! rs... Já não ia ver o filme, agora muito menos! Rs...
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  3. Oiii!

    Eu particularmente morro de medo de filmes de terror... Então, eu passaria longe... Mas me senti mal por não ser muito bom para os fãs do gênero.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem??

    Filme de terror, né? Não assisto nem que me paguem, gosto de suspense, de ação, de aventura. Concordo demais com Lou Grover: uma arma, uma bala, fim de papo!

    Beijos
    #BelGóes#

    ResponderExcluir
  5. Realmente, o filme tem muitas cenas que não trazem nada ao enredo, acho que podia ter explicado melhor o caso que deu origem a tudo isso. Mas até que foi divertido de ver.

    ResponderExcluir
  6. Puxa!
    Fiquei até tensa de imaginar a história! Gosto muito de filmes de suspense e terror e fiquei super curiosa sobre este filme, apesar de você ter colocado que poderia ter sido melhor! Obrigada pela dica! Abração, Drica.

    ResponderExcluir
  7. Olá, eu ainda não conhecia esse filme. Achei a premissa interessante e, mesmo com suas ressalvas, talvez eu assistisse, pois confesso que fiquei curiosa com essa coisa da amiga de infância aparecer quando as luzes se apagam.

    ResponderExcluir
  8. Oiii Joanice, tudo bem?
    Menina eu tenho tanta vontade de assistir esse filme, ainda não encontrei para download, mas pretendo o quanto antes baixar e assistir, gostei de vê-lo em seu blog.
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Quando soube do lançamento e vi um grande alvoroço sobre o filme fiquei mega empolgada para assistir. Porém, como não tem cinema na cidade onde moro tive que me controlar e ai comecei a ver algumas resenhas sobre. A cada uma que lia me desanimava mais porque falavam que o filme não é tudo isso e nem medo dá rsrs
    Acabei desistindo de assistir e até havia esquecido dele.
    Adorei saber suas impressões e continuo desanimada para assistir.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  10. Quando vi o filme senti que ele é mais suspense que terror, mas nada que tire a beleza da trama. Gostei de ver sua opinião sobre a pelicula, e em alguns pontos concordamos.

    ResponderExcluir
  11. Eu adoro filme de terror mas tenho me decepcionado com os que estão sendo lançados recentemente.
    Eu vi o trailer desse filme e achei muito bom mas a gente se engana muito, talvez eu só assista o curta

    ResponderExcluir
  12. Olá!
    Acho que esse é o problemas dos filmes de terror de hoje em dia, vendem como terror mas não passam de um suspense. Enfim, acho que vou assistir mas não espero muita coisa da obra, espero que me surpreenda.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Nossa, eu lembro do curta e de como deu o que falar na época. Uma pena que o filme não tenha cumprido o prometido, aliás, não ouvi ninguém falar sobre ele, só você. Vinte minutos finais não compensam... Acho que assistirei só para criar uma opinião, e porque gosto de ver lançamentos atuais do gênero, mas já vou sem nenhuma expectativa.



    ourbravenewblog.weebly.com
    Participe do nosso TOP COMENTARISTA valendo um livro JANTAR SECRETO, do autor Raphael Montes :)

    ResponderExcluir

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger