.12 de jan de 2017

[Resenha] Perdida #1 - Carina Rissi

Título: Perdida #1
Autora: Carina Rissi
Editora: Verus
Ano: 2013
N° de páginas: 364

Sinopse:
Sofia vive em uma metrópole e está acostumada com a modernidade e as facilidades que ela traz. Ela é independente e tem pavor à mera menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são aqueles que os livros proporcionam. Após comprar um celular novo, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século dezenove, sem ter ideia de como voltar para casa ou se isso sequer é possível. Enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de retornar ao tempo presente, ela é acolhida pela família Clarke. Com a ajuda do prestativo e lindo Ian Clarke, Sofia embarca numa busca frenética e acaba encontrando pistas que talvez possam ajudá-la a resolver esse mistério e voltar para sua tão amada vida moderna. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos...
“Seus olhos arrastavam os meus para sua órbita inescapável.”

Perdida é aquele romance que lhe conquista pela delicadeza do amor tratado e pela irreverência dos personagens que cativam com facilidade, consequentemente mexendo com o imaginário dos leitores.
Sofia é uma jovem de 24 anos que tem um trabalho tolerável e que abomina seu chefe Carlos que parece um dos assistentes do Capiroto e que parece ter como hobby infernizar a vida de sua empregada.

Ela é teimosa e perseverante, pois a vida se encarregou de tirar seu alicerce familiar: seus pais e como não tinha irmãos viu em sua amiga Nina e seu namorado Rafa, uma família postiça. Sofia e Nina são como irmãs e não escondem nada uma da outra. Ela não acha o comportamento de Rafael exemplar e nem plausível para ser namorado de sua melhor amiga, porém Nina é loucamente apaixonada por ele e acredita numa mudança milagrosa. Coisas de quem ama faz. Nina crê que Sofia não entenda seu relacionamento, porque nunca se apaixonou de verdade. Claro, que a jovem Sofia acha isso caretice e cegueira de quem acredita no amor.

Por ironia do destino o celular de Sofia quebra numa de suas saídas noturnas e ela se vê obrigada a comprar um novo aparelho. Vai até uma loja e é atendida por uma vendedora misteriosa e estranha que lhe oferece um celular azul maravilhoso que parece ter “poderes” para realizar o que a jovem mais deseja. Sofia acha que a mulher tem “neurônios a menos”, mas encantada pelo telefone, acaba adquirindo-o. Não sabendo que sua vida mudaria brutalmente naquele momento.

Sai feliz da loja e tenta ligar o aparelho, porém o mesmo parece não funcionar e ela decide retornar ao estabelecimento e enfrentar a vendedora disse que o celular era exclusivo e pronto para atender as necessidades de Sofia. Quando está se encaminhando ao local, o telefone acende e uma luz sobrenatural cega a jovem e quando retorna a enxergar o local percebe que o mesmo modificou e parece um daqueles interiorizinhos dos livros de História Moderna que retratam a vida aristocrática do século XIX.


Sofia não lembra nada depois que ficou impossibilitada de enxergar com a luz anormal e só retorna à realidade quando um jovem montado num cavalo lhe pergunta se estar bem. Ela acha engraçado porque o homem parece ter sua idade, porém está trajado de roupas antiquadas e ultrapassadas e andando a cavalo numa metrópole. O jovem em questão é Ian Clarke que está retornando a sua casa, a qual sua irmã mais nova Elisa lhe aguarda.

Ian pensa que Sofia está sem memória porque não fala coisas com coerência e está vestida impropriamente para o século XIX. Como assim? Isso mesmo, a vendedora na verdade era alguma bruxa ou feiticeira que levou Sofia para encontrar seu Destino. Ela ficaria naquele local até descobrir o que precisava aprender e o que mais queria em seu coração, porém, qual seria o maior desejo de Sofia?

O jovem leva Sofia para sua casa e é acomodada como hóspede que foi assaltada e não sabe como retornar á sua casa. Ela começa a presenciar uma vida completamente diferente da sua, começando pela ausência de banheiros e sim “a casinha” rsrs – que nada mais é que o um lugar afastado da Casa Grande com um buraco no chão para as necessidades fisiológicas – as mulheres andando com vestido muito elaborados, sem condicionador, TV, internet, celular e tudo mais. Ela anseia por sua volta, mas só retornará quando cumprir a missão que não sabe o  que tem que achar.

Ela é guiada pela encantadora áurea do século XIX no que diz tratamento humano pelo maravilhoso Ian que se sente verdadeiramente deslumbrado pela sua hóspede que parece bem diferente das moças de sua cidade. Ele é polido, gentil, conservador, encantador, divertido e extremamente lindo e desperta em Sofia sentimentos que antes ela não conhecia e o mesmo acontece com ele.

Ian é o pretendente mais assediado da cidade por suas inúmeras qualidades e isso acaba refletindo em Sofia, porque ele só tem olhos para ela depois que surgiu do nada ali e as jovens acabaram enciumadas com isso, porém os dois estão claramente apaixonados...entretanto, Sofia tem algo a cumprir, mesmo não sabendo exatamente o que é e quando atingir isso será enviada novamente ao seu século, deixando seu coração e de Ian partido. Então o que fará? Conseguiria abandonar sua vida em 2010 para ficar com um homem dois séculos antes? Será que tudo aquilo não seria um sonho? O que teria que conseguir ali? Por que fora escolhida pela aquela senhora? Qual caminho tomará seu coração? Conseguiria se adaptar ali se escolher ficar com Ian? Se optasse voltar para o futuro, conseguiria ficar sem o amor de Ian?

Sofia é uma personagem com sentimentos e emoções contraditórias. Ela começa sua jornada com a certeza que quer retornar ao seu lar em 2010 e ficar ao lado de sua amiga, mas ao conhecer a doçura e os encantos de Ian não consegue mais raciocinar perfeitamente. Fica entre a dúvida e a insegurança, porque não sabe o que procura ali. Apenas é alertada pelo celular mágico quando cumpre uma nova fase – as fases que não sabe o que é rsrs – e não sabe como lidar com o amor que está sentindo pelo seu anfitrião e como não machucar seu coração e o dele que corresponde aos seus sentimentos.

“— Sinto que posso... Flutuar quando estou com você, como se fosse capaz de realmente voar! Sinto-me completo pela primeira vez, Sofia. Há uma força em você que me atrai que me arrasta para perto, uma força inexplicável que turva meus pensamentos.”

Ian é um homem que perdeu seus pais e cuida sozinho de sua irmã Elisa. É responsável pelos negócios de sua família e tem obrigação de se casar rapidamente com uma mulher decente que possa educar sua irmã de quase 15 anos. Seu futuro era certo ao lado de Valentina, filha de uma aristocrata rica e bem posicionada socialmente, todavia ao ver seu destino chocar com o de Sofia percebeu que fora feito para tê-la ao seu lado e assim não consegue aceitar que sua amada necessite voltar para sua “casa” e da mesma forma que tenta vencer a ferocidade de seu cavalo Stormer, ele lutará para ter Sofia ao seu lado e se sente despedaçado em pensar que pode perdê-la.

“— E você foi a melhor coisa que encontrei em toda minha vida. — seus olhos queimaram nos meus, sua voz baixa e rouca me provocou arrepios, minha cabeça girava e meu coração acelerou o passo de tal forma que temi que pudesse saltar do peito.”

Elisa é a irmã caçula de Ian e é carinhosa, divertida, inocente e consciente dos sentimentos de seu irmão pela recente hóspede de sua casa. Sente-se responsável pela felicidade do irmão e tenta de todas as formas para fazer Sofia ficar ao lado dele e assim deixa-lo completo e plenamente feliz e acaba sendo uma jovem forte e madura para sua idade e seus sonhos puros sobre amor e casamento.
Carina construiu uma narrativa deliciosa regada a muitas tiradas engraçadas porque Sofia ver-se obrigada a se adaptar a realidade do século XIX e protagoniza juntamente com Ian cenas divertidas e românticas que deixam a história leve e gostosa de ler.

“— Você pensou que eu estivesse... atraída por você. Pensou que... Que... Eu quero tanto tocar você que perco a noção de certo e errado. Que quando você me toca é quando me sinto mais viva. E que quando me beijou, foi como se finalmente minha vida começasse.”

A história é bem construída e elaborada e percebe-se que a pesquisa foi bem aprofundada para a construção do cenário para a família Clarke e os contrastes com os modos modernos de Sofia e o romance não é nem de longe forçado, porque os dois se conhecem muito antes de deixarem suas emoções falarem mais alto e a sutileza e o respeito de Ian por Sofia é tocante e cativante para qualquer leitora e vamos falar a verdade que todas amam Ian rsrs! Quero um na minha vida kkk.


Perdida é um romance doce e gostoso que nos conquista nas primeiras páginas e nos leva para uma viagem maravilhosa pelo século XIX digno de Jane Austen com uma pitada das divertidas comédias românticas do século XVI.

15 comentários:

  1. Eu amo essa série.
    Carina Rissi consegue fazer a gente suspirar pelo romance e dar altas gargalhadas com as cenas engraçadas. É maravilhoso, assim como todos os outros livros da autora. =)

    Bjos,
    http://helendutra.com/

    ResponderExcluir
  2. The post is great! I really love your blog:)

    irinathayer.com

    ResponderExcluir
  3. Eu ganhei 2 livros da Carini Rissi,mas ainda não li nenhum. No Mundo da Luna e Procura-se um Marido, estou ansiosa pela leitura. Esta série é bem falada e claro, eu assim, como 10 entre 10 leitores, são loucos pra conhecer, já estava na minha meta de leitura de 2026, mas adoeci e não pude ler, mas sua resenha me deixou ainda mais ansiosa pra conhecer Ian Clark e Sofia!
    Resenha super completa, parabéns!

    www.detudopouco.com.br

    ResponderExcluir
  4. Menina, pra mim que sou apaixonada por Romances de Época é uma vergonha enorme dizer que nunca li esse livro kkk preciso resolver isso com urgência. A carina é um amor né? E sua resenha me deixou com ainda mais vontade de ler esse livro, fora que suas fotos ficaram sensacionais, parabéns!

    www.memoriasdeumaleitora.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá, Joanice! Tudo bem?

    Ah, o que falar de Perdida, né? Esse é um dos muitos livros que eu amei tanto que não consigo escrever uma resenha sobre ele.

    Ah, o Ian *suspiro*, quem não quer um Ian na vida? <3

    Já que você curtiu Perdida, tenho certeza que vai AMAR Encontrada e Destinado (que é narrado pelo mozão)! Prometida eu ainda não li, mas, não vejo a hora! <3 Tenho certeza que é maravilhoso também!

    Beijos e até!

    www.dreamsandbooks.com

    ResponderExcluir
  6. Olá
    Eu adoro essa série. E a autora é tão fofa.
    Impossível não amar o Ian.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Joanice me apaixonei pelo teu all star, essa foto ficou maravilhosa!!!!!!! <3
    Em relação a história de Perdida só posso dizer que sou apaixonada pelos personagens e me diverti muito quando conferi o primeiro livro, tenho que dar um jeitinho de adquirir os outros, mas esse ano to com um projeto de concluir algumas série, então dessa vez vai! Eu achooo!

    Beijos e até logo! :*

    ResponderExcluir
  8. Oie!
    EU já li esse livro e adorei a história. Muito fofa! Inclusive, todos os livros dessa série e da autora, são ótimos!
    Gosto de todos!
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  9. Olá! A série é muito boa. Tem humor, tem romance, tem Ian. Ian é maravilhoso. Por enquanto só me falta ler o Prometida para concluir esta deliciosa experiência. Continue lendo que você vai amar! Abraços!

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem? Sou fã assumida da Carina Rissi e por isso sou mega suspeita de falar. Acho os livros dela fantástico e principalmente Perdida e sua série. Ian me conquistou desde a primeira vez que foi mencionado e a Sofia só risadas. Amei <3
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Olá, ainda não li nada de Carina, mas depois dessa sua resenha tão detalhada deste livro da autora, confesso que conseguiu despertar minha curiosidade pela leitura, já que os personagens me aprecem realmente bem construídos e o cenário é de uma delicadeza sem igual.

    ResponderExcluir
  12. Amo demais esse livro
    Ele é sem comentarios
    E com certeza as melhores cenas sâo de sofia se adaptando ao estilo de vida de antigamente
    Quero muito ler a continuação

    ResponderExcluir
  13. Olá,

    Morro de curiosidade em relação a esse livro, já o procurei em várias livrarias, porém era bem difícil de encontrar aqui na minha cidade :/ Mas, a esperança é a última q que morre e espero ter a oportunidade de fazer esta leitura ainda este ano.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Olá!! Que amorzinho de estória!! Amei sua resenha!! Adoro estórias com pegada de "viagem no tempo" e principalmente coisas que remetem épocas antigas. Carina é muito elogiada por minha amiga Ana e espero conhecer muito em breve seus livros! Obrigada pela dica!! Bjs
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  15. Oi! Eu acho que nunca vi ninguém falando mal desse livro! haha acabei criando curiosidade. Espero ter a oportunidade de lê-lo! bjs!

    ResponderExcluir

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger