.8 de fev de 2017

[Cine Pipoca] Orgulho e Preconceito e Zumbis

Título: Orgulho e Preconceito e Zumbis
Produção: Burr Steers
Ano: 2016
Duração: 108 min.
Gênero: Thriller/Ação
Elenco:
Lily James,
Sam Riley,
Bella Heathcote
Douglas Booth
Sally Phillips
Charles Dance
Matt Smith (IV)

Sinopse: Um surto de zumbis se abateu sobre a Terra nesta releitura do conto clássico de Jane Austen que trata das relações e enlaces amorosos entre amantes de diferentes classes sociais na Inglaterra do século XIX. A resoluta heroína Elizabeth Bennet é mestre em armas e artes marciais; e o belo Mr. Darcy é um feroz assassino de zumbis e símbolo máximo do preconceito inerente às classes superiores. Mas à medida que o surto zumbi se intensifica, os dois devem deixar o orgulho de lado e unir forças no campo de batalha encharcado de sangue, a fim de acabar com o exército morto-vivo de uma vez por todas.




Orgulho e Preconceito e Zumbis é uma releitura radical e ousada do mais famoso clássico da autora inglesa Jane Austen e tem como diferencial uma Inglaterra em pleno Juízo Final com a chegada de mortos-vivos entre os humanos.

A casa da Sra.Feathstone é um lugar de jogos e diversão e recebe a visita ilustre do capitão Darcy (pirei quando o vi <3) que é encarregado da “Limpeza” de Londres e seus arredores dos mortos-vivos. Ele checa com a dona se não percebeu nada diferente com alguém, mas ela afirma não ter nada anormal. Ele pede para jogar uma partida cartas e abre um frasco com moscas varejeiras que sabem detectar carne morta há quilômetros e é dito e feito: O Sr.Kinsgley já é um morto-vivo é aniquilado sem piedade.

 A Inglaterra é vítima desse vírus desde o início do século XVIII com a chegada de mercadorias vindo da França, porém o vírus vinha junto das colônias e não dos franceses. O perigo aumentara e hordas de zumbis massacravam vivos, então o governo britânico decidiu construí uma muralha em volta de Londres e tudo que fica ao redor da cidade, como vilarejos e cidades menores era chamada de Intermediário. Sabe-se que zumbis atravessaram a fronteira e aniquilaram centenas de pessoas nessa linha entre a capital e as cidades vizinhas e o Rei enlouquecido com tudo ordenou que todas as pontes fossem derrubadas, mas apenas uma ficou.


Os ricos e poderosos viajavam ou mandavam seus filhos para o Japão para aprender as artes marciais. Os que queriam mais do que a arte de lutar do Oriente e dos Tigres Asiáticos (atente que Tigres Asiáticos é um termo que eu usei e não a produção, porque não era um conceito da época e optei por usá-lo devido o Japão e a China não fazerem parte do Oriente Médio) escolhiam a China para ganhar sabedoria além de ensinamentos de combate. O Sr. Darcy é treinado nas artes japonesas e é um homem sério e sincero que chega ao ponto da grosseria e arrogância.

Como já cansamos de saber a Família Bennet é formada pela mãe apaixonada pelas seis filhas e determinada a casar cada uma delas com um homem rico e bem posicionado na sociedade londrina e pelo pai Sr.Bennet que é um homem simples e visionário que deixa suas filhas escolherem seu próprio destino. As filhas mais velhas são Elizabeth (Lizzy) e Jane. Lizzy é sincera ao extremo, amante de dança, odeia as normas sociais e não suporta arrogância e a exibição dos mais ricos. Jane é sonhadora, sensível e delicada. São extremos opostos, porém são as mais unidas e confidentes das filhas.


Num baile local o caminho de Lizzy se cruza com Sr.Darcy que a chama de “beleza tolerável” e assim a magoa profundamente que se irrita e sai para “esfriar a cabeça” e esquece sua irmã Jane com o encantador Sr.Bingley. No lado de fora a Sra.Feathstone aparece para Lizzy, mas já está transformada numa morta-viva e é morta por Sr.Darcy e o baile acaba virando um massacre de mortos-vivos, pois já havia pessoas infectadas na festa.

A senhora Bennet manda sua filha Jane para visitar o apaixonado Sr.Bingley. No meio do caminho ela mata alguns mortos-vivos, mas é acometida por uma febre alta porque pegou uma bela chuva naquele dia e fica encamada na mansão da família e posteriormente recebe a companhia de sua irmã Lizzy que se sente deslocada na presença da irmã do amado de Jane e principalmente da prepotência do Sr.Darcy.


As retornam a sua casa quando Jane se recupera e Sr.Bingley promete um baile esplêndido quando Jane estiver completamente recuperada. O baile chega e mais uma tragédia assola a vida de Netherfield: um novo ataque de zumbis no baile. A família Bingley e Sr.Darcy vão embora e deixam Jane desolada e Lizzy enfurecida. Elizabeth sabe que Darcy deve ter tido que sua família deseja apenas a fortuna de seu amigo e a chegada do misterioso tenente Wickham que é um irmão de consideração do Sr.Darcy.

O resto da história segue o mesmo caminho do enredo original, mas intercalar-se com os ataques de hordas de zumbis que assolam o território inglês. A melhor parte do filme é conferida com a sagrada parte da remissão do Sr.Darcy com Eliz, na qual ele pede desculpas por ter tirado seu amigo da companhia de Jane. A nova leitura da obra transforma esse diálogo numa luta de espadas entre o dois que emociona o público com a tensão.

O filme em si é bem regular, porque parece não conseguir integralizar romance e o apocalipse zumbi que eles se propuseram em fazer. Observe The Walking Dead e Guerra Mundial Z são trabalhos que mostram não há como mesclar o “fim do mundo” com “felizes para sempre”. Um gênero anula o outro. Até porque, os mortos-vivos desse filme falam e vivem normalmente se não se alimentarem de cérebro humano, é bem ridículo e ingênuo perto de super obras que trabalham essa temática.


Algo que merece uma ressalva aqui é as mulheres da família Bennet saberem lutarem perfeitamente  as artes marciais e deixarem no “chinelo” qualquer homem do enredo, e além do grande destaque da interpretação da atriz que faz a Cersei de GOT que faz o papel da Rainha sanguinária que mata zumbis loucamente.


O aprimoramento das personalidades de Sr.Darcy e Lizzy deixou os personagens mais ácidos e atrativos para o público, porque quando estavam juntos proporcionavam diálogos de humor negro e afrontas claras que deixam o público eufórico e torcendo para ficarem juntos.

A obra encanta pela qualidade das cenas e a escolha certa para os atores e seus respectivos papéis, porém falham claramente com a tentativa frustrada de unir romance e apocalipse zumbi em uma história só. Não conseguiram passar aquela sensação de sobrevivência e desespero que o gênero de ficção científica tem e muito menos repassaram o ideal que zumbis são realmente um perigo para a permanência da espécie humana como vemos em TWD.

Orgulho e Preconceito e Zumbis é uma obra para mero entretenimento e diversão, porém peca profundamente quando não decide em qual gênero que apresentar ao público; o romance ou o Juízo final. 

10 comentários:

  1. Eu adorei essa ideia de misturar uma das historias mais marcantes da literatura mundial, com essa moda de zumbis!! Gostei muito do filme e da sua opinião sobre ele!

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Gosto muito dos livros que originaram essa versão, tanto o original de Jane Austen quanto a releitura, e por isso assisti a esse filme assim que ele foi lançado e confesso que ele foi uma grande decepção pra mim. A junção de apocalipse zumbi com romance que funcionou tão bem no livro não foi muito bem sucedida no cinema, o ator que deu vida ao Mr. Darcy não me agradou, dentre outros fatores. Uma pena.
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente o livro é muito melhor que o filme e isso fica claro na adaptação que foi bem mediana.

      Beijos!

      Excluir
  3. Oiii Joanice, tudo bem?
    Menina eu ainda não assisti esse filme e confesso que sua opinião me despertou atenção, gosto de filmes assim e a autora é um clássico né e um sucesso, dica super anotada!
    Beijinhos da Morgs!

    ResponderExcluir
  4. O que dizer deste filme que eu.... Odiei. Nossa eu fiquei muito pau dá vida quando assisti. Eu confesso que só dei a chance por conta de algumas pessoas do elenco mas a história em si é ridícula. Desconfigurou minha obra amada de Jane. Por mais que eles tenham feito algumas cenas igual ao livro o filme para mim é mais do que detestável.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Oie!
    Eu ainda não tive a oportunidade de assistir o filme, e ainda não tive coragem de procurar rsrs
    Eu não sei se vou gostar dessa adaptação kkk
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  6. Olá,

    Ultimamente estou assistindo poucos filmes e me acabando nas series. Esse filme está na minha lista de desejados faz um tempinho, após a suas criticas a vontade só aumentou, pois gosto de concretizar a critica alheias quando assisto. Parabéns pelo post!

    http://desencaixados.com/

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Não curto nem Austen nem zumbis, então dificilmente verei esse filme. Mas ele parece ser muito bem feito, a fotografia está impecável. Enfim, só mais um filme pra passar o tempo.

    ResponderExcluir
  8. Oii, tudo bem?
    Eu já li Orgulho e Preconceito a admito que a leitura não fluiu muito bem kk, mas acho que iria gostar dessa versão, pois tem mais ação e a historia é diferente. Espero ter a oportunidade de assistir ao filme em breve.

    ResponderExcluir
  9. OOi!
    Primeiro, que blog lindo! <3
    Nunca li Orgulho e Preconceito, mesmo amando o gênero e morrendo de curiosidade de conhecer a escrita da jane. Mal conheço a história! haha
    Não curto filmes com zumbis, mas as cenas desse parecem, realmente, muito bem feitas, o que desperta minha vontade de assistir ao filme. Espero ter a oportunidade!
    Beijoos!

    ResponderExcluir

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger