.12 de jun de 2017

[Cine Pipoca] O Poderoso Chefinho


Título Original: The Boss Baby
Título em PRT: O Poderoso Chefinho
Gênero: Infantil
Duração: 1h 38min
Direção: Tom McGrath
Elenco (Voices): Alec Baldwin, Steve Buscemi, Jimmy Kimmel, Lisa Kudrow, Tobey Maguire, Conrad Vernon, David Soren e Walt Dohrn

Sinopse:
Um bebê falante que usa terno e carrega uma maleta misteriosa une forças com seu irmão mais velho invejoso para impedir que um inescrupuloso CEO acabe com o amor no mundo. A missão é salvar os pais, impedir a catástrofe e provar que o mais intenso dos sentimentos é uma poderosa força.



O Poderoso Chefinho é uma animação que fala sobre filhos, família e a mudança de hábitos durante a troca de gerações na vida humana.


A Baby Corp é uma empresa que fabrica bebês. Isso mesmo, ela produz crianças que de acordo com o perfil e se passarem no Teste das cócegas poderão ser encaminhado para as respectivas casas para serem bons filhos. As crianças que não passam nesse teste são encaminhadas para os cargos de gerência da mesma. Um desses bebês que não tem nome, mas se intitula Boss – chefe em inglês – é escolhido para integrar a família Templeton, porque os pais de Tim – filho do casal – fazem parte da Puppy Co.

A vida de Tim é maravilhosa com a atenção de seus pais totalmente para ele. Quando o Boss chega o que era lindo, torna-se um pesadelo sem fim, porque o bebê monopoliza todos, exceto o garoto que sabe que um bebê que anda com terno não é nada normal.



Acidentalmente Tim descobre que a criança que se diz ser seu irmão é um bebê agente infiltrado na casa dele para impedir o novo lançamento da Puppy Co que é um filhote de cachorro que nunca cresce e é eterno. Há décadas que a Baby Corp e a Puppy Co. competem no mercado, porque os cachorros tem sido mais procurados do que os bebês, o que tem transformado a estrutura familiar.

Os dois deixam suas diferenças de lado, porque Boss quer apenas cumprir aquela missão para se tornar o Poderoso Chefinho na empresa e ganhar um escritório de canto, um penico particular e a confiança de todos. Tim ganhará seu título de filho único novamente e terá seus pais exclusivamente para si. Então unidos tentam vencer a corporação do mau que vem tentando destruir gravemente e Baby Corp.


Será que Tim e Boss conseguirão destruir o projeto da Puppy Co.? Será que Boss conseguirá alcançar seu tão sonhado cargo? Por que as pessoas preferem animais ao invés de filhos em seus casamentos?

Tim é um personagem muito fofo, porque ele é forte e frágil ao mesmo tempo. Luta para ter seu status de filho único sem medo, porém consegue mostrar que se sente incomodado com a presença daquele irmão. Ele é um personagem que é usado para mostrar o quanto nos sentimos ameaçados quando temos que dividir amor e atenção com os outros.


Boss é uma fofura e determinado em tudo que faz. Quando ele adentra o lar da Família Templeton ele é direto, insensível – uma jogada de mestre misturar a fragilidade de um bebê e a postura de um adulto – porém acaba se tornando inseguro de seus sonhos, porque é abatido por uma onda de amor e estabilidade emocional naquela casa.

Os pais de Tim são atenciosos e conseguem dividir seu trabalho profissional e sua vida doméstica de forma esplêndida. Eles sempre colocam Tim em primeiro lugar, porque ele é o marco da nova fase deles. Ele foi planejado e tem única e exclusiva atenção deles, porém quando eles pegam o Boss para a família percebem que estão reduzindo sua atenção e carinho com Tim e isso é bem colocado no filme, porque a maioria dos pais tem tendência natural de direcionarem toda sua atenção para os filhos que chegaram por último ou achar que os filhos mais velhos não precisam de tanto cuidado como antes e consequentemente criam uma competição clara entre os irmãos.



A discussão levantada no enredo sobre a mudança de comportamento de casais é completamente relevante, porque no século XXI há muitas famílias que optam por teres animais domésticos, ao invés de filhos. Existem diversas hipóteses para isso, como a simplicidade de se cuidar de cachorros e gatos – e outros animais que acabam sendo domesticados -, dinheiro e tempo investido, não tem vontade de ter herdeiros, não se sentem capazes de educar uma criança e tantas outras teorias. O que é colocado em xeque aqui é que ambos são modelos normais e característicos das novas interações sociais.

Um ponto a ser colocado em pauta aqui e é tocado no desenrolar do filme, é a infantilização de animais domésticos. Algumas pessoas acham que cães e gatos são crianças que precisam ser vestidos como seres humanos e superprotegidos como os mesmos e isso torna a relação de animais e seres humanos uma inversão natural, porque tira a natureza animal dos bichinhos. Outro ponto é alguns pais acharem que as crianças são adultas em pequena estatura e os transformando em seres de extrema responsabilidade e perdendo a melhor fase de suas vidas.


A trilha sonora e os acontecimentos são um encaixe perfeito e assistir legendado é bem proveitoso, porque temos uma noção da voz de Boss e o contraste com seu corpo de bebê.

Poderoso Chefinho é um filme que conquista pela apresentação de forma simples do novo quadro da construção familiar e mostrar que as relações humanas mudam conforme novas interações sociais e tudo isso com uma leveza e uma pintada de sarcasmo e ironia. 



12 comentários:

  1. Olá Joanice,

    Vi esse filme em cartaz e achei bem interessante a premissa, normalmente não assisto filmes infantis, mas após sua resenha fiquei bem curiosa e com certeza darei uma chance.

    Abraços,
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  2. Olá! Eu sou encantada pela fotografia desse filme, estou realmente louca para assistir! Não sabia de que se tratava exatamente e achei sensacional a sacada, que não deixa de ser uma crítica à sociedade, ou pelo menos uma reflexão sobre não querermos mais tanta responsabilidade quanto um filho e, por isso, criamos bichos! Mas realmente humanizamos demais os animais domésticos e essa, para mim, é a melhor sacada do filme, que quero assistir logo!
    Beijos!
    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Já fiquei completamente apaixonada por esse filme! Preciso ver, adoro ver filmes de animação e esse parece bem dviertido!
    Dica anotada! Bjos

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Esse desenho tem um jeito de ser muito legal,
    já quero assistir!
    Convido você e todas as suas leitoras para conhecerem meu cantinho,
    e se gostarem seguirem, retribuo a todos ^_^
    Desvendando Segredos | Facebook

    ResponderExcluir
  5. haha

    que show...

    não sou lá muito de assistir animação, mas o tema desse filme me agradou bastante!

    obrigada pela super dica!!!!!

    bjs

    ResponderExcluir
  6. Heiii, tudo bem?
    Já tinha visto o trailer desse filme, O Poderoso Chefinho, e tinha achado mto engraçado.
    Adorei o que falou do filme e animei de assistir logo, achei fofo demais e é bom pra dar umas risadas com a familia.
    Adorei a dica.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  7. Oi, Joanice! Adorei a sua crítica, parece conter uma história bem divertida e ao mesmo tempo cheia de temas interessantes, sobre os adultos preferirem animais do que bebês e o ciúme dos irmãos mais velhos por conta dos pais darem mais atenção aos filhos mais novos, e confesso que eu era exatamente assim quando o meu irmão nasceu haha. Dica anotada com certeza. Bjss!

    ResponderExcluir
  8. oie!
    Essa animação é muito legal.
    Gostei da sua resenha e dos pontos que destacou.
    bjs

    ResponderExcluir
  9. Olá, tudo bem? Gente não sabia que tinha isso tudo por trás da animação. Achei ela bem fofinha quando via os trailers, mas não sabia ao fundo do que se tratava. Adorei <3
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Confesso que não tinha prestado atenção quando vi o trailer no cinema e imaginei que era um filme infantil bem divertido. Não sabia de toda esta possibilidade de análise social que ele permite. Obrigada pela dica! Abraços!

    ResponderExcluir
  11. Ainda não assisti ao filme e confesso que não tinha muita ideia do tema abordado, lendo sua resenha vi que não é só uma simples animação, mas trata de um tema real de forma bem humorada, parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  12. Adoro filmes de animação. Parece ser ótimo.

    ResponderExcluir

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger