.21 de jul de 2017

[Resenha] Quando eu era invisível - Martin Pistorius

Título: Quando eu era invisível
Autor: Martin Pistorius
Editora: Astral Cultural
Ano: 2017
N° de Páginas: 272



Sinopse:
Até aos 12 anos, Martin Pistorius era um menino igual aos outros, feliz e saudável. Ninguém nunca imaginaria que um dia ele fosse adoecer gravemente e que, em pouco tempo, pararia de andar e falar. Para os médicos, Martin tinha entrado em estado vegetativo. Porém, lentamente, Martin começou a recuperar a consciência e a perceber tudo o que acontecia ao seu redor. Preso em seu próprio corpo, ele era incapaz de mostrar isso para a sua família e àqueles que cuidavam dele. Depois de 12 anos de encarceramento, Martin conheceu Virna, uma terapeuta que viu além do corpo preso a uma cadeira de rodas e que apenas movia os olhos. Ela conseguiu enxergar um ser humano na plena posse das suas faculdades mentais. Este foi apenas o princípio de um extraordinário renascimento e o primeiro impulso para que Martin despertasse, gradualmente, para a vida. De um menino que dependia completamente dos outros, Martin Pistorius transformou-se em um homem independente, que se formou na faculdade, conseguiu um emprego e casou com o amor da sua vida. A vida de Martin é uma surpreendente história real de superação que vai mexer com todas as suas emoções. Você vai torcer, chorar e reconhecer nele uma inspiradora força de vontade para realizar o impossível.



“As caixas nos tornam mais fáceis de entender, mas também nos aprisionam, porque as pessoas não conseguem enxergar através dela.”

Quando eu era invisível é um livro sobre um homem que venceu os obstáculos que a vida lhe impôs e não desistiu jamais de viver mesmo que muitas vezes as pessoas os desanimassem sem perceber.


Martin Pistorius é homem forte, determinado e amoroso, mas para ser tudo isso teve que enfrentar muitos problemas, limitações e desafios diários que são simples para qualquer pessoa não tenha deficiência, seja física ou mental.

Pistorius nasceu um menino lindo, hiperativo e apaixonado por Legos que sempre estava brincando com eles e imaginando muitos mundos divertidos e cheios de aventuras. Era sociável e cheio de amiguinhos, até que sua saúde foi se desabilitando e tornando-se frágil e o garoto saudável e cheio de energia, deu lugar a uma criança fraca, dependente de alguém que lhe ajudasse nas tarefas mais básicas, como, comer, vestir, tomar banho e entender seus olhares, já que perdera a força para falar e se movimentar.

Aos 12 anos a vida do menino mudou tragicamente e viu-se sendo levado aos mais variados especialistas médico para saber o motivo de seu estado físico, porém nenhum médico conseguiu atestar precisamente as causas que o levaram ao definhamento de seu corpo.

Sua vida mudou completamente, porque sua família foi obrigada a se adaptar as suas necessidades. Seu pai vivia para Martin e sua mãe não desistiu nos primeiros anos, porque acreditava que teria uma cura para seu filho, porém a realidade caiu como um peso insuportável nas costas da mãe de Martin e depois de recomendações médicas, ela se afastou da problemática e deixou seu filho aos cuidados do pai que nunca recuará diante o desafio que tinha em suas mãos.

Seus irmãos Kim e David começaram a se sentir excluídos pela sociedade, porque ninguém queria ir a casa deles. David tinha se tornado um jovem tímido e calado. Kim era a única que conversava tranquilamente com Martin e o ajudou profundamente em sua recuperação.


Aos 14 anos, Martin começou sua saga em uma instituição que trabalhava com pessoas com necessidades especiais. Passava metade do dia lá e a noite seu pai o buscava para voltarem para casa. Ele sentia-se rejeitado, porque os médicos acreditavam em seu estado vegetativo, entretanto seu cérebro funcionava de forma normal e sua compreensão era perfeita, apenas a sua comunicação neural com a boca e seus membros estava prejudicada e somente quando uma curadora/massagista inicia seus trabalhos naquele lugar é que Pistorius finalmente é percebido como pessoa. Ele ganha uma chance de se comunicar com o mundo através de tecnologias de comunicação para pessoas com limitações físicas e mentais.

“Já ouvi falar disso em filmes e ouvi pessoas descrevê-lo em músicas.
Agora compreendo o que é ao sentir atravessar meu peito: tenho o coração despedaçado.”

O livro narrado pelo próprio Martin é uma lição de vida sem precedentes, porque ele mesmo conta todas suas dificuldades depois de ser acometido por essa doença desconhecida. Ele nos revela maltratos vindo de profissionais que deviam ser cuidados com ele, a indiferença das pessoas com sua existência, a maldade e crueldade que sofreu com os mais variados abusos que sofreu e os traumas que carregou em seu coração, mas não pode gritar para o mundo, porque todos acreditavam em seu silêncio mental.

Martin teve uma ajuda especial de sua cuidadora Virna que percebeu que seu paciente tinha capacidade de comunicação mesmo que limitada e venceu todas as vozes contrárias para trazer um meio técnico de comunicação para ele. Ela também se tornou o primeiro amor de nosso narrador, mas aquela paixão platônica.

Os pais de Pistorius brigavam diariamente, porque a mãe queria que ele fosse internado definitivamente, porque não acreditava mais na capacidade familiar de cuidar das necessidades especiais do filho, já o pai não queria de forma alguma deixar seu filho nas mãos de outras pessoas. Queria ele próximo da família e os mesmos que entendessem que Martin necessitava de mais atenção que os demais filhos. Para o jovem, ele era apenas um acessório familiar e um estorvo na vida de seus familiares, porém o amor de sua família mostrou que a incapacidade de encontrar uma cura para Martin que era o motivo real daquela discordância diária.

“Eu vivi toda a minha vida como um peso para os outros. Joanna faz com que eu me sinta leve.”

Nosso narrador é um ser humano sem igual. De um jovem inseguro e amedrontado, tornou-se um homem que criou seu próprio sistema de comunicação com as pessoas e mostrou-se um verdadeiro programador de informática e acabou mostrando seu valor e a urgência das pessoas aprenderem que deficiência não quer dizer incapacidade.

A obra tem uma leitura cativante do começo ao fim, porque Martin nos conta tudo sem medo de se expor ou ser taxado como “coitado”, ele mostra que tudo é possível quando se acredita no objetivo e se busca meios para realizar esse sonho. Ele desnuda-se diante os leitores e nos ensina que o medo é essencial, todavia não deve ser paralisante.


Eu adorei essa capa, porque traduz muito do que livro traz como proposta para os leitores, além das folhas amareladas e o marcador lindo que venho acompanhando esse kit.

Quando eu era invisível é um choque de realidade. Uma chamada para se viver e não apenas existir. Um ultimato para percebemos que devemos lutar mais do que se entregar aos murmúrios e as reclamações constantes. Martin Pistorius nos prova que o impossível é questão de opinião.
  

11 comentários:

  1. Oiii Joanice tudo bem?
    Eu fiquei encantada pela sua resenha menina, eu já tive a oportunidade de ler esse livro e realmente adorei ter tido a oportunidade de ler, Martin me deixou encantada pela sua história.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Oioi
    Nossa que história heim, eu acho que não teria a mesma força que o Martin, acho a leitura deve ser muito boa uma verdadeira lição de que se você quiser você pode ser tudo aquilo que deseja.

    ResponderExcluir
  3. Oi, tudo bem?
    Só recentemente vim descobrir sobre o que esse livro se tratava, e ele tem uma história bem interessante, mas confesso que eu não sei se estou em um bom momento para esse tipo de leitura.
    BJs

    ResponderExcluir
  4. Achei a história bem tocante.
    Sua resenha está incrível. Muito bom conhecer a obra mais a fundo através de sua escrita.

    #Ana Souza
    https://literakaos.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Essa história parece ser tocante do início ao fim. Com certeza é pra ler com um lencinho do lado e no final sair com uma lição de vida enorme. Gostei de saber que a leitura é cativante por ter tudo que o garoto quer expressar e concordo que essa capa é lindíssima e tem tudo a ver. Com certeza dica anotada <3
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oii!!

    Uou! Que história! Eu não conhecia o livro mas com sua resenha ficou claro que preciso ler.
    O enredo parece ensinar tanto que não sei bem que o que dizer!
    Dica mais que anotada! Espero ler em breve!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Olá! Lidar com questões de pessoas com deficiência é um grande desafio, ainda mais para quem tem a mente totalmente preservada, como é o caso do personagem do livro, que compreende totalmente o mundo à sua volta e a sua própria condição. Achei interessante abordar a questão da paixão (mesmo que platônica), pois imagino que esse assunto ainda seja cercado de tabus, ainda mais por envolver uma pessoa com deficiência. Se a leitura é cativante, me interessa muito, pois livros com temas fortes e polêmicos têm que ter a leveza necessária a uma boa leitura.
    Beijos!
    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oie!
    Ainda não li o livro, mas já vi que será uma história bem emocionante, daquelas que vai me fazer refletir. Gostei muito da sua indicação, vou conferir essa história, com certeza será uma leitura que vai tocar muito.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  9. Olá!

    Esse livro está super sendo bem falado, é uma história linda de superação, mas ao mesmo tempo chocante. Pretendo ler, a mensagem transmitida é única e maravilhosa!!

    ResponderExcluir
  10. Oie! Tudo bem?

    Estou louca para realizar a leitura desse livro, quando recebi um email com as informações sobre as obras, apostei minhas fichas nessa história que com certeza tem muito para nos ensinar, vou ir atrás dele com certeza para lê-lo acredito que irei gostar da história do nosso personagem principal!

    Bjss

    ResponderExcluir
  11. Fiquei impressionada com essa premissa.
    Uma pessoa tao ativa e do nada se ver em estado vegetativo, com certeza é um livro que nos faz pensar.
    Fiquei bem interessada na história, acho que sao relatos assim que nos fazem crer em milagres.
    Otima dica.

    ResponderExcluir

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger