.4 de ago de 2017

[Resenha] 100 Folhas de Amor - Manoel Assis Rodrigues Borges

Título: 100 Folhas de Amor
Autora: Manoel Assis Rodrigues Borges
Editora: RN
Ano: 2015
N° de páginas: 200

||Cedido em parceria com o autor||


Sinopse:
"Nossa vida é um paginar de folhas... Escolhamos a numeração do amor, para ser colocada no nosso livro do tempo. As folhas aspergirão perfume nas palavras escritas..."



100 Folhas de Amor é uma coletânea de poemas que falam do sentimento essencial para os seres humanos: O Amor.


No poema O universo particular do amor, temos um eu lírico que fala sobre as diversas formas de amar. Os falares populares dizem que existem regras para se amar, mas sabemos que cada pessoa ama de forma distinta, conforme sua personalidade e seu universo particular. Não há rótulos para se amar.

“Diferentes porque, embora o amor seja um sentimento universal, cada um ama do jeito que sabe amar. Universo particular...”(Pág.11)

O poema Livro da Vida nos deparamos com falares sobre o amadurecimento e crescimento pessoal que somos invocados a ter diante nossa existência na Terra. Temos uma perspectiva que sempre estamos em constante mudança. Nunca somos o que éramos no passado.
“Fui frases ditas ao luar mais brilhante
Quando a minha estrela despontava no céu
Hoje sou palavra solta, destoante
Que no breu da noite escura se perdeu.”(Pág.16)

A Vida é uma construção que trabalha nossa andança diária com desafios, trabalho, família e tudo mais, porém destaca a importância das pessoas que tornam nossas lutas constantes em algo mais levo. Seres que iluminam nossas decisões e nos acolhem quando erramos ou somos vítimas apenas do sadismo do Destino. Anjos da guarda que nos amam e protegem da maldade.

“Pois a vida é feita também de anjos
E anjos tornam a vida
Maravilhosa e vívida.”(Pág.22)

Em Nossas Imperfeições há um discorrimento sobre nossa natureza falha. Errar é um traço comum em todos os seres humanos e isso nutre nossos defeitos e nos tornam diferentes em nossa própria espécie, porém errar não dar o direito de ser levado para crueldade e maldade e consequentemente torna-se uma pessoa indesejada e imprópria para a tranquilidade do mundo.

“Procuremos ser a meiga face da bondade,
O calor humano na hora da saudade.
A luz que guia rumo à verdade
E a mão amiga da caridade.” (Pág.28)

O amor em frases fala sobre o Amor em si. Explana sobre a constância que é esse sentimento. Uma vez instalado, nunca mais ele sairá. Ele se hospeda permanentemente. O amor é um sentimento que explora nosso ser e nos nutre com sua energia. Não murcha jamais.


“O amor nunca machuca...As pessoas, sim!”(Pág.60)

Em o Menino-criança por obrigação, temos um eu lírico que fala sobre suas lembranças de infância. Seu sofrimento e dilemas pessoais motivaram seu trabalho árduo e os seus sonhos mais valiosos. Descobriu que sua fortuna era a realização de seus objetivos. Sua riqueza era o que invisível aos olhos.

“Fui um menino pobre,
Como é costume falar.
Porém, tive todas as riquezas.
Tesouros difíceis de achar.
Amor, sonhos, liberdade para criar...
E, o mais importante de tudo,
Fui livre para voar.”(Pág.96)

Reconhecendo o Amor fala sobre más escolhas em insistimos em não viver de reciprocidade. Amar quem nos amar e jamais nutrir esperanças infundáveis. Viver de migalhas dos outros é torna-se miserável diante um sentimento que adora abundância.

“Muitas vezes nos perdemos nesse reconhecimento...
Amamos quem nunca nos amou
Desprezamos quem só amor nos dedicou.
E, às vezes sem perceber, machucamos um grande sentimento. ”(Pág. 141)

A composição dessa antologia poética é de profunda sensibilidade e uma simplicidade de técnica que me impressionou, porque a maioria das pessoas é acostumada com arranjos requintados quando o assunto é poesia. Normalmente não compreendem que poema é apenas uma construção literária em versos com rima ou sem rima clara. Há diferenças apenas na construção técnica da poesia, que pode ser, por exemplo, versos soltos, concretismo, modernos, sonetos e outros.



O autor trabalha com maestria em trabalhar com uma temática atemporal e universal: O Amor. Um sentimento que invade a todos. Seus tentáculos sublimes aparecerão de muitas formas para as pessoas. Sua estadia é constante em nossos corações, mas nem todos os reconhecem e vemos isso nos poemas de Manoel.

Os poemas em destaque são os que mais me marcaram e compreendem ideias que circulam minha mente como uma eterna apaixonada. Como diria o apóstolo Paulo na primeira carta à Igreja de Coríntio: “Sem o amor nada sou.”

A capa da obra foi feita pela aluna Ana Fernanda da Silveira Amorim que deu um toque suave e sensível a esse livro. As folhas são detalhadamente compostas por flores e corações que tornam tudo mais bonito de se ver. A fonte é agradável e as folhas amareladas.


100 Folhas de Amor é como a primavera que chega com a promessa de nos presentear com o sublime viver e nos envolver nos braços carinhosos do Amor.


Um comentário:

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger