.14 de set de 2017

[Resenha] É Inverno - Cecília Mouta

Título: É Inverno
Autora: Cecília Mouta
Editora: Chiado
Ano: 2017
N° de Páginas: 344
Compre || AQUI ||
|| Livro cedido em parceria com a autora ||

Sinopse:
Izzy é fascinada pela neve, o inverno é sua estação do ano preferida. Todos os dias, na escola, ela se diverte com seus melhores amigos: Lil, Sam e Mat. Porém, Lil sofre de pesadelos e toda vez que os tem, algo ruim acontece em seguida.Naquele ano o inverno estava diferente, intenso. E, certo dia, Lil tem um pesadelo que muda completamente a vida dos quatro amigos. Os episódios seguintes levam o leitor a viver momentos emocionantes nas descobertas que Izzy faz sobre a própria vida. Até que chega o momento crucial em que ela tem que fazer uma escolha que poderá colocar um ponto final em toda a sua história até ali, inclusive na amizade com sua melhor amiga Lil.


“A vida sempre será curta, porque sempre haverá sonhos a serem realizados, e não teremos tempo para eles.” (Pág.104)


É Inverno é uma obra sensível que fala sobre vida, escolhas, nossa mania de pensar no futuro esquecendo-se de viver o agora e deixando os acontecimentos mais preciosos passarem despercebidos.

Izzy – Izabel – é uma menina de oito anos que é expressiva em tudo que faz, mas vira e mexe fica pensando no sentido da vida e encantar-se sonhando com seu futuro e dos seus amigos Lil, Sam e Mat. Ela está ansiosa pelas férias de inverno, na qual irá comemorar seu aniversário de nove anos no dia 09 de dezembro.

Os dias na escola de St. Westwood são fascinantes para Izzy. Não por causa das aulas, mas pela presença de seus amigos. Os quatro são um quarteto desde a tenra idade e desde então estão sempre unidos e aprontando pela escola e bagunçando na casa de cada um. Os pais dos meninos são todos amigos e por isso, a amizade é mais forte e profunda.

Lil e Izzy são as mais unidas e sempre estão na casa uma da outra. Não existe um segredo entre elas. Nos últimos dias de aula, elas planejam como será a comemoração do aniversário de Izzy, porque ela nasceu durante as férias e nunca contou com a presença dos amigos, já que estão viajando, porém esse ano ela tem maus pressentimentos sobre essa data, porém prefere deixar ocultos.

“Eu sei que às vezes o conhecido torna-se mais apavorante que o desconhecido, mas se sucumbiremos aos nossos medos, vamos viver sempre trancados para a vida.” (Pág. 271)

O bosque sempre fora o lugar preferido de Izzy e quando está querendo pensar ela caminha para lá e sentar-se numa pedra de frente para o lago e permeia assuntos que a deixam aflita ou reflexiva.

Lil é uma menina doce, engraçada e muito esquentadinha. As advertências de Izzy é que controlam os ímpetos da garota. Ela tem um dom especial – nem tão legal – de sonhar – ter pesadelos – com fatos inesperados e vislumbrar a morte das pessoas. O primeiro incidente sonhado por ela foi o acidente de seu tio que o deixou em coma por algum tempo. Agora o pesadelo mais infeliz e aterrorizante lhe acometeu: ela sonhara com a morte de alguém muito próximo.


Tomada pelo pânico e pensando ser uma maldição ter pesadelos premonitórios com as pessoas, Lil recorre aos cuidados de Izzy para conseguir se acalmar, porém a ausência de Sam na escola não parece ser um bom sinal. Ela sente o medo invadir seu coração e os de seus amigos.

Izzy sabe que a falta de Sam naquele dia não poderia ser um bom sinal. Mat também estava inquieto e desesperado. Enviara muitas mensagens para o amigo para saber o motivo de sua ausência naquele dia. Podia ser apenas um desespero sem fundamento, mas o dia indicava que a vida nem sempre seguia os nossos anseios.

Izzy não conseguiria imaginar sua vida sem Sam. O garoto que no verão passado dissera que queria se casar com ela quando estivessem mais velhos. Dera até um anel de compromisso para lembrarem-se daquele momento. Será que a vida seria assim tão cruel e interromperia uma vida tão precoce como a de Sam?

“Podia ser uma bobagem minha, que estava me apegando a detalhes, mas não é nos detalhes que a gente realmente conhece uma pessoa?” (Pág.91)

A tragédia chega sem anúncio breve e rompe com o equilíbrio de todos, porque a Morte nunca aparece para ceifar apenas a vida, mas desencadeia o pior dos seres humanos: o caos e assim os mais sombrios pesadelos não seriam capaz de ilustrar o horror que se abateria sob aqueles amigos.

Será que o sonho de Lil se concretizou? Por que naquele momento? Por que a vida sempre teimava em ser sorrateira e inconveniente? O que será daqueles amigos se o pesadelo da amiga for real? Por que a vida queria a morte de uma criança? Por que existe a morte?

Izzy é uma personagem bem parecida com a Lúcia de As Crônicas de Nárnia, porque ela é amorosa, madura – para a idade – e curiosa com os segredos do universo. Ela amava seus amigos e sonhava demais com o futuro. Imaginava sua vida ao lado de Sam. Imaginava ao lado de Lil como uma das adolescentes que elas perturbavam com suas brincadeiras. Sonhava com o futuro, mas esquecia de que somente o presente é real e ninguém sabe se amanhã verá um novo dia.


Lil é uma menina tímida, doce e meiga e algumas vezes, perdia a paciência e queria partir para a violência e somente Izzy – sua melhor amiga – conseguia conter sua raiva. Ela amava seus amigos, mas sentia medo de ser a esquisita do “pedaço”, porque tinha aqueles pesadelos com vislumbres das mortes de pessoas próximas e quando a vida se mostra cruel e sem misericórdia, é que ela percebe que não temos como mudar algo já traçado pelos mistérios desse universo.

“[...] e que não importa quanto tempo dure, quantos invernos demorem, você será o Flocus na vida de alguém e alguém será na sua. E juntos, vocês vão formar um lindo inverno.”(Pág.37)

Sam é um menino lindo, divertido, romântico e sábio para uma criança. Ele e Izzy são amigos há bastante tempo e acabam nutrindo um sentimento maior do que a amizade e por isso ele pede a menina em casamento no último verão que estiveram juntos. Ele queria tê-la para sempre em sua vida. Ele planejava uma vida conjunta para ambos, porém quando somos crianças não temos noção que nem sempre os planos dão certos e o inesperado ocorre e leva junto, nossa inocência e esperança.
Mat é um personagem alegre, amigo e conflitante em alguns momentos, porque quando a tragédia se instala em sua vida, ele procura por culpados, como todos nós fazemos. Ele quer despejar toda sua raiva e tristeza em alguém. Ele quer expressar toda a dor que permeia seu ser, porém erra quando não percebe que a morte e a vida estão sempre juntas e ninguém pode ir contra o ciclo natural que rege a natureza.

É Inverno é um drama doce e cruel ao mesmo tempo. É um antagonismo que gera um conflito nos leitores, porque desde crianças indagamos os outros e o universo sobre nossa existência na terra. Qual nossa real função na vida? Por que não conseguimos realmente ter controle total sob nossas escolhas?

Izzy e Sam são personagens que ganharam meu coração nesse enredo, porque são sensíveis aos segredos da vida. Eles são protagonistas da personificação da nossa falta de entendimento sobre o funcionamento do Tempo. Não há passado, porque o mesmo é apenas fragmentos do que aconteceu. Apenas as consequências do que fizemos no passado interferem no presente e o futuro é inexistente, já que o agora é o único tempo concreto e palpável e os acontecimentos que envolvem Izzy, Lil, Mat e Sam são fatos que acontecem diariamente e não temos poder de controle sob eles.

“[...] A bomba explodiu. Havia pedaços do meu coração voando para todos os cantos do meu corpo. Minha mente havia se tornado um borrão.” (Pág.60)

Quando a verdade da história foi apresentada para mim, não vou mentir que foi um choque, porque desconfiava do acontecimento real, porém tinha esperança de não tivesse ocorrido, mas a realidade não é uma fantasia e nem podemos fugir dela. Não importa o quão triste e destituída de beleza e encanto ela possa ser, nós teremos que enfrenta-la. Só perceba que muitas vezes é a feiura que move nossa visão sob o mundo e não o inverso.

A capa é uma coerente com o enredo, já que os acontecimentos são sempre expressados no inverno. A fonte e as folhas são bem adequadas para leitura e adoro o cheiro das folhas da edição da Editora Chiado.

Cecília novamente mostra que sensibilidade e crueza da realidade podem ser apresentadas de forma sublime e significante através de histórias simples, mas inesquecíveis, como em É Inverno.

            “ – É difícil deixar ir aquilo que faz parte da gente.” (Pág.328) 


12 comentários:

  1. Sem palavras para essa resenha, Jo!! ❤️ Acho que você entendeu esses personagens melhor do que eu! Esse é o tipo de resenha que um escritor lê e se sente satisfeito com seu trabalho, um sentimento de "dever cumprido". Eu desejo muito sucesso para você e o Poesia Que Encanta a Vida, porque encanta mesmo! Muito obrigada ❤️❄️

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço por ter tido a oportunidade de ler um livro tão doce, sensível e bem a cara do Inverno que sempre lembra perdas e recomeços.

      Beijos!

      Excluir
  2. Uau! Que resenha detalhista! Você exauriu as principais questões abordadas pelo livro. Você,Joanice, fez uma leitura bem atenta, pois conseguiu expor as referidas questões minuciosamente. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Awn <3 <3

      Obrigada pelos elogios...sempre tento captar a essência dos livros que leio.

      Beijos!

      Excluir
  3. Que resenha mais linda, Jo! Tô emocionada! É o tipo de resenha que faz o autor se sentir orgulhoso! Parabéns pelas belas palavras! Muito sucesso pra você e para Poesia Que Encanta o Dia, porque encanta mesmo! ❤️❤️❄️

    ResponderExcluir
  4. Oi.
    O enredo chamou minha atenção e parece ser uma história linda.
    Mas, sendo bem sincera, meu gênero favorito é fantasia, justamente por fornecer uma fuga da realidade. E eu não sei se encararia esse livro por conta da idade dos personagens principais. Já deu um aperto no coração só de imaginar o que aconteceu ao ler sua resenha.
    Adorei a dica, mas não sei se leria.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  5. Olá
    Esse livro é meu novo xodó. Eu chorei horrores lendo ele e esse é um indício que amei a leitura. Eu tinha certeza do que aconteceria no final, mas quando aconteceu, menina, chorei. As personagens são mesmo encantadoras. Cecília tem o dom de criar personagens e histórias incríveis.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  6. Oie!
    Que capa linda!
    Ainda não conhecia o livro, mas achei a história interessante. E gostei do que apontou sobre o enredo e a narrativa.
    Uma ótima dica!
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  7. Caramba! Que livro hein? Nunca li algo parecido, estou completamente curiosa! Quero ler já! Amei sua resenha! Obrigada pela dica!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  8. Ola,
    Não conhecia a obra mas pelo que li da sua resenha aprece uma história que minha mãe ia gostar de ler, ela gosta muito desses temas. Achei interessante os personagens serem crianças.
    Beijos
    Raquel Machado
    Leitura Kriativa
    http://leiturakriativa.blogspot.com.br/2017/09/jantar-secreto-de-raphael-montes.html#comment-form

    ResponderExcluir
  9. Heiii, tudo bem?
    Não costumo ler mto livros da Chiado, acho que por falta de conhecimento mesmo e oportunidades.
    Ainda nao conhecia esse livro e achei a capa linda.
    A premissa tb me chamou a atenção e gostei de como falou dos personagens.
    Adorei a dica.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  10. Oi Jo, tudo bem?
    Que capa linda e que história, eu não conhecia e gostei da premissa com mistérios e reviravoltas. Nunca li nada da Chiado, mas ultimamente ando prestando mais atenção em outras editoras. Gostei de conhecer um poco da história e já quero conferir.

    beijos!
    https://blogdatahis.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger