.26 de set de 2017

[Resenha] Suzy e as Águas-Vivas - Ali Benjamin

Título: Suzy e as águas-vivas
Autora: Ali Benjamin
Editora: Verus
Ano: 2015
N° de Páginas: 223

Sinopse:
Às vezes, quando nos sentimos mais solitários, o mundo decide se abrir de formas mágicas.Suzy Swanson está quase certa do real motivo da morte de Franny Jackson. Todos dizem que não há como ter certeza, que algumas coisas simplesmente acontecem. Mas Suzy sabe que deve haver uma explicação — uma explicação científica — para que Franny tenha se afogado. Assombrada pela perda de sua ex-melhor amiga — e pelo momento final e terrível entre elas —, Suzy se refugia no mundo silencioso de sua imaginação. Convencida de que a morte de Franny foi causada pela ferroada de uma água-viva, ela cria um plano para provar a verdade, mesmo que isso signifique viajar ao outro lado do mundo... sozinha. Enquanto se prepara, Suzy descobre coisas surpreendentes sobre o universo — e encontra amor e esperança bem mais perto do que ela imaginava. Este romance dolorosamente sensível explora o momento crucial na vida de cada um de nós, quando percebemos pela primeira vez que nem todas as histórias têm final feliz... mas que novas aventuras estão esperando para florescer, às vezes bem à nossa frente.

 “[...] uma pessoa pode se tornar invisível simplesmente ficando em silêncio.”



Suzy e as águas-vivas é um drama juvenil que ensina sobre amizade, esperança, diferenças que fazem das pessoas serem peculiares e especiais.


Suzy Swanson é uma jovem – criança – que tem 12 anos e sempre fora curiosa e sem limites para falar – ela tem Hiperatividade – e gosta de estudar os assuntos mais peculiares que uma criança poderia querer saber, como sobre animais, cadeias alimentares e principalmente, águas-vivas após a morte de sua melhor amiga Franny num afogamento durante as férias escolares.

“E porque, neste momento, fazer uma amiga, e ter uma amiga, parece a coisa mais fácil do mundo.”

A vida escolar de Suzy despenca depois que Franny não está mais ali. Não que as coisas estivessem boas. Longe disso, porém elas eram amigas desde os 5 anos e sabiam tudo sobre a outra. Uma era a Miss Frizzy – Suzy – e a outra Menina Morango – Fran – e andavam juntas para todos os lugares, mas os indícios da puberdade modificaram essa amizade.

Franny começou a andar com as meninas descoladas. Ela sabia sobre maquiagem, viagens, ria com a mão tapando a boca, encarava constantemente os meninos com charme. Aquela menina não era mais a Menina Morango que Suzy conhecia. As conversas nunca mais eram interessantes. Fran não queria saber mais das coisas incríveis que sua amiga pesquisava. Ela agora queria pentear os cabelos rebeldes de Su e dar dicas sobre modas e saber quem era o crush dela.

Com o tempo as atitudes ditas como infantis pelas outras meninas deixaram Suzy renegada ao patamar de esquisita e imprópria para o grupo “seleto” e aqui o relacionamento de Su e Fran termina. Um dia falavam horas sobre o Universo e agora, a Menina Morango debochava de sua amiga. Humilhava com seus olhares e fazia coisas cruéis simplesmente para ser aceita. Suzy não ver outra forma e se isola.

A morte de Franny coloca Suzy num estado depressivo e de completa solidão. Ela sente-se culpada pela morte da ex-amiga. Então ela bola uma teoria sobre a possível causa do afogamento de Fran. Ela era uma exímia nadadora e não poderia ter se afogado como uma leiga. Uma água-viva pode ter a picado e levado seu corpo ao torpor do veneno.

O fascínio pelas águas-vivas brota no coração de Su numa visita ao aquário da cidade e uma caçada incansável sobre tudo sobre aqueles seres que sobreviverem as mais terríveis catástrofes naturais e segundo os especialistas é a maior população de seres vivos do ecossistema e podem a qualquer momento extinguir diversos seres aquáticos e até nós, seres humanos.

“É só decidir não encher o mundo de palavras se não for necessário. É o oposto da fala-contínua, que é o que eu costumava fazer, e é melhor do que o falar-à-toa, que é o que as pessoas queriam que eu fizesse.”

Seus pais preocupados começam a leva-la para sessões regulares com a psicóloga – vulgo Dr. Pernas – para saberem o motivo que Suzy não pronunciara mais nenhuma palavra depois do enterro de sua amiga.
“Águas-vivas são sobreviventes. Elas sobreviveram a tudo o que já aconteceu com todos os outros seres.”
Tomada pela fé de que tinha a resposta da causa da morte de sua amiga, esperança de se livrar de uma culpa não existencial e a chance de ser outra pessoa levam Suzy a fazer loucuras sem as pessoas desconfiarem, porém o juízo de uma criança de 12 anos pode leva-la a decisões insanas e causar o caos.


Suzy é uma jovem com transtorno de Hiperatividade, mas como você sabe Jo? Ela tem todos os traços de uma pessoa portadora disso. Tenho TDAH e sei identificar sem erros, porque ela adora falar muito e sente a necessidade de fazer coisas produtivas a todo o momento. Ela gosta de ciências e é apaixonada pelo novo e por isso sente-se mal quando sua amiga simplesmente a ver como uma “aberração” e que não consegue crescer... Como se ter 12 anos é ser adulto rsrs.

Franny é doce, divertida e amável. Nadadora com honras, inteligente e compreensível com Su, porém como a adolescência nunca foi uma fase fácil para ninguém, ela cai na cilada de se anular para ser aceita por um “grupinho” e ainda tenta incluir Suzy, porém como sua amiga não tem vontade alguma em interagir com meninas precoces  e que somente falam de meninos e maquiagens, ela deixa Su sozinha, porém não pensa que ser amigo é aceitar o outro como ela é e não força-la a ser algo diferente para aceitação alheia.

O irmão de Suzy, Aaron, que é super compreensível, amigo e companheiro. Ele diverte a irmã com suas histórias engraçadas e com a presença do seu namorado Rocco na sua antiga casa.

A mãe de Su é um tanto dramática e preocupada demais com a filha. O pai é separado e por isso apenas ver a filha nos finais de semana, mas é atencioso e mais maleável com sua “princesa”.

“— Déficit de atenção. Se eu não tomar o remédio, meu cérebro fica doido.”

O destaque de personagem vai para o Justin que é visto como menino maluquinho na escola por suas esquisitices e falta de atenção. Aqui faço um apelo: Não julgue qualquer criança, porque ela é aleatória, não parece ter concentração, agitada demais ou desleixada demais. Isso pode ser sinal de problemas na aprendizagem. Justin tem Transtorno de Déficit de Atenção – eu tenho – e não consegue se concentrar como as outras crianças. Ele toma remédio e faz terapia para ter maior controle sob sua atenção.

Gostei muito do modo como esse livro é construído, porque parece – aparentemente – voltado para crianças e adolescentes, mas não realidade, é para todos, porque fala sobre se relacionar e aceitar-se como somos e principalmente nossa dificuldade em procurar entender o próximo.

Franny tem dislexia. Ela olhava o número 5 como um “S” e vice-versa, assim como não conseguia pronunciar algumas palavras e tinha dificuldade em matemática por raciocinar de outra forma. Su tem Hiperatividade e Justin, TDA. Agora pergunto para vocês: Sabem lidar com pessoas que possuem essas dificuldades de aprendizagens? Já pararam para pesquisar sobre elas?

“[...] adultos são como todo mundo; eles não querem que você diga de fato o que está pensando.”

Lendo essa resenha tenho certeza que perceberam que tiveram contatos com crianças ou adultos com características desses três personagens e quantas vezes eles foram julgados como inaptos para algo? Eu mesma fui várias vezes disciplinadas por acharem que era “birra” ou “má criação”. Fui diagnosticada com TDAH e com 19 anos com Transtorno de Ansiedade e aprendi a me aceitar e ajudo os outros a entenderem meus dilemas. Julgar é fácil e se esconder é covardia, e por isso me identifiquei com uma obra sensível e informativa que alerta que exigimos demais de nós e dos outros.

O livro é narrado em primeira pessoa, por Suzy e cada capítulo é iniciado com os conceitos que envolvem a pesquisa científica, como objetivos, metodologia, justificativa e afim que é inspirado no trabalho que a professora Turdon pediu a classe. Essa professora lembra o incrível professor de Auggie em Extraordinário.

Suzy e as águas-vivas é sensibilidade, emoção, informação e choque de realidade. É um livro escrito com o coração e o objetivo de marcar os leitores.

“Quando você precisar comunicar algo importante, fale a sua verdade cara a cara.”


6 comentários:

  1. Olá!

    Ainda não li esse livro, mas percebo que ele tem uma mensagem importante. Que bom que você curtiu a leitura, espero ler o mais rápido possível.

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Eu sempre tive curiosidade em ler essa obra desde que a mesma foi divulgada aqui no Brasil. Mas até o momento não consegui fazer a leitura do mesmo. Tenho certeza que irei me apaixonar assim como todos que vi resenha. Adorei poder conferir a sua e até mais ver
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Heiii, tudo bem?
    Eu li esse livro depois mta gente ter amado e recomendado e que bom que eu nao errei.
    Acho a capa linda e Suzy é uma jovem mto especial mesmo, fiquei com o coração na mão por ela varias vezes.
    COm certeza um livro lindo.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  4. Olá! Essa história parece ser um incrível aprendizado, realmente. Nós, no dia a dia não paramos para pesquisar sobre esses problemas, não olhamos para o outro com olhos bons que expressem "você precisa de ajuda?", não sabemos escutar o outro tem para nos dizer. Grande erro. É muito bom saber que existem pessoas que ainda se preocupam com isso e produzem essas obra incríveis para nós conscientizar. Abraços, Lara. Psiu, Vem Ler!

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o livro, mas pela sua resenha a história parece ser bem interessante, vou anotar a dica. Gosto de livros que nos marcam.

    Bjs
    Suka
    http://www.suka-p.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá!Tudo bem?
    é muito dificil achar livros que abordam esses problemas.Eu li um que era sobre Autismo e poucas pessoas tinham lido ele.
    É de grande importância ter livros sobre isso,nós faz entender mais e julgar menos.
    Gostei do livro,parece muito interessante.
    bjs

    ResponderExcluir

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger